Síndrome paraneoplásica é uma condição grave e pode ser revertida?

A síndrome paraneoplásica é uma condição grave?

A síndrome paraneoplásica é uma coleção de vários tipos diferentes de sintomas que ocorrem longe do local do tumor ou câncer e pode ou não estar relacionada direta ou indiretamente ao tumor [1] . As síndromes paraneoplásicas são uma condição perigosa porque sua associação com o tumor reduz o sistema imunológico do corpo. Embora não seja necessário que eles sempre apresentem alguma condição séria, mas salientar o fato de que eles estão quase sempre associados ao câncer subjacente já o torna perigoso o suficiente para ser temido.

Como existe um número variado de sintomas que podem se manifestar como síndromes paraneoplásicas, o tratamento e o prognóstico não podem ser explicados diretamente e podem variar amplamente, mas, dependendo do órgão de envolvimento, a síndrome paraneoplásica pode ser fatal em vários casos. Pode parecer trivial o suficiente para ser ignorado por um longo tempo e até mesmo ser perigoso o suficiente para tirar uma vida.

Se apenas algumas condições paraneoplásicas forem nomeadas, então algumas das mais perigosas do grupo são insuficiência renal, insuficiência cardíaca, insuficiência respiratória, instabilidade autonômica, lúpus eritematoso sistêmico , amiloidose , cardiomiopatias, etc. Mesmo uma combinação de todas essas doenças pode ser visto na síndrome paraneoplásica que torna mortal.

No entanto, a síndrome paraneoplásica pode aparecer em sintomas muito triviais como anorexia , febre, perda de peso , dor nas articulações , caquexia, diarréia , constipação , coceira , pigmentação, nódulos, dor no corpo, aumento da sede, rinite , dor de gargantabolhas na pele , erupções cutâneas, etc.

Embora tão perigosa quanto possa parecer, essas síndromes paraneoplásicas podem em algum momento ser marcadores importantes para os tumores que podem não ter sido detectados até agora. Também pode ajudar na confirmação de alguns tumores, pois estes também são muito específicos para alguns dos tumores, como por exemplo, uma condição cutânea conhecida como síndrome de Leser Trelat é específica para o câncer gástrico.

Pode ser revertido?

O tratamento da síndrome paraneoplásica depende do fato de que órgão está envolvido, até que ponto está envolvido, e o câncer com o qual está associado é benigno ou maligno. Se o envolvimento do órgão é vital, como coração, rins, fígado, cérebro, etc., então o tratamento da síndrome paraneoplásica não poderia ser de grande utilidade, porque uma vez que esses órgãos falhem, não há muitas chances de recuperação. Se o envolvimento do órgão for de tamanho pequeno e trivial, o tratamento da síndrome paraneoplásica poderá ser valioso e ter uma boa taxa de sucesso.

Várias síndromes paraneoplásicas são facilmente tratáveis. Além disso, sabe-se que as síndromes paraneoplásicas são curadas automaticamente se o câncer subjacente ou o tumor for tratado. Medicações adjuvantes, juntamente com as drogas anticâncer, podem eliminar as síndromes paraneoplásicas associadas ao tumor específico. Às vezes, as drogas anticâncer são causadoras da síndrome paraneoplásica e desaparecem quando a droga causadora é retirada ou substituída por outra droga. [1]

Conclusão

Os sinais e sintomas da síndrome paraneoplásica devem ser detectados o mais cedo possível, pois podem apresentar-se como uma pequena marca trivial na pele para um grande distúrbio de insuficiência. É um grupo geralmente não fatal de sintomas, mas às vezes eles podem ser fatais também. É apenas para manter um olho em qualquer um dos sintomas triviais, especialmente se você já está sofrendo de algum tipo de câncer e deve ser relatado imediatamente ao médico e resolvê-lo. A reversão das síndromes paraneoplásicas seria fácil se detectada nas fases iniciais e tempo adequado para o tratamento. É importante ter o seu tratamento de um médico certificado e ficar longe de curandeiros da alma.

Leia também:

Especialista em Dor at | 425-968-1599 | [email protected]

Eu sou o Dr. Ruby Crowder e sou especialista em medicina pulmonar e cuidados intensivos. Eu me formei na Universidade da Califórnia, em San Francisco. Eu trabalho no Hospital Geral de São Francisco e Centro de Trauma de Zuckerberg. Eu também sou professor associado de medicina na Universidade da Califórnia, em San Francisco.

Eu pesquisei a epidemiologia e o manejo da tuberculose em países de alta incidência e publiquei muitos remédios e artigos relacionados à saúde sobre o Exenin e em outras revistas médicas.

Finalmente, gosto de viajar, mergulhar e andar de mochila.

Leave a Comment