Saúde Mental

10 dicas para recuperar de ataques de pânico

A sensação quando uma pessoa é superada por uma enorme onda de medo e ansiedade é chamada de “ataque de pânico”. Durante esse ataque, você terá dificuldade em respirar e o coração baterá muito mais rápido (palpitações graves). Alguns até assumem que estão perdendo a cabeça, enquanto outros acham que este é o fim de sua vida. Se tais reações extremas não forem tratadas a tempo, isso pode levar a uma série de outras questões médicas, que incluem transtorno do pânico. A maioria das pessoas se retira e deixa de participar das atividades do dia-a-dia. No entanto, buscando o tratamento do mesmo, você será capaz de se livrar dos sintomas e obter algum controle em suas vidas.

Um ataque de pânico pode acontecer de repente e sem sintomas pré-existentes. Não há motivos relacionados a esses ataques. Ocorrência do mesmo pode acontecer quando uma pessoa está dormindo ou está em um estado mental relaxado. No entanto, a maioria dos ataques acontece mais de uma vez na vida de uma pessoa. As pessoas que continuam experimentando a repetição de tais episódios precisam procurar ajuda. Às vezes, uma situação pode ser o gatilho para a ocorrência repetida. Muitas vezes, as pessoas descrevem a sensação de estarem presas e não conseguem sair da situação de maneira calma e relaxada.

Na maioria das vezes, os pacientes podem ser saudáveis ​​e, ainda assim, sofrer múltiplos ataques. Outros pacientes sofrem de depressão e um número de fobias que podem levar à ocorrência de tais ataques de pânico.

Seja qual for a causa, esses ataques podem ser tratados. Vários métodos e estratégias ajudarão o paciente a lidar com os sintomas relacionados a esses ataques. A repetição de ataques de pânico em intervalos regulares levará ao transtorno do pânico. Isso é sempre precedido por mudanças nos padrões de comportamento de uma pessoa e sentimentos de extrema ansiedade durante o início de tais ataques.

Sinais e sintomas de ataques de pânico

O desenvolvimento dos sintomas associados a esta doença é súbito. Pode atingir o pico em um período de dez minutos. No entanto, a maioria dos pacientes experimenta esses ataques por um período de 20 a 30 minutos. Os casos extremos são predominantes por uma hora.

Então, como você sabe quando você experimenta um ataque de pânico?

Uma combinação é quando você está sem fôlego ou começa a hiperventilar. Algumas pessoas sentem o coração acelerado e podem sentir palpitações. Outros podem sentir dor no peito. Alguns pacientes podem começar a tremer ou tremer. Alguns podem sentir que estão sendo sufocados. Alguns podem sentir náuseas, enquanto alguns pacientes podem começar a suar. Alguns podem sentir-se fraco ou tonto e alguns podem sentir dormência. Alguns podem até sentir uma sensação de desequilíbrio mental.

O que pode causar ataques de pânico?

Até à data, a razão exata dos ataques de pânico não é conhecida. Estudos mostram que as tendências de pânico podem ser transmitidas através dos genes de uma família. Estudos também mostraram que há uma conexão entre grandes eventos como formatura, casamento, nascimento e primeiro emprego, etc … Eventos como a perda de um emprego, divórcio e morte podem atuar como um gatilho para ataques de pânico.

Há uma série de problemas de saúde que também podem causar esses ataques de pânico. Assim, torna-se importante ter um exame de saúde para diminuir e eliminar qualquer susto de saúde. A seguir estão as principais causas de ataques de pânico:

  1. O primeiro é o prolapso da válvula mitral. Essa é uma condição na qual as válvulas do coração não se fecham da maneira adequada.
  2. O hipertireoidismo é uma condição em que a glândula tireoide está ativa demais.
  3. A hipoglicemia é uma condição associada a baixos níveis de açúcar no sangue.
  4. O uso de estimulantes refere-se ao excesso de ingestão de cafeína ou à ingestão regular de substâncias como a cocaína.
  5. A abstinência de medicamentos é uma condição em que o corpo reage à cessação súbita de qualquer medicação de longo prazo.

Tratamento para ataques de pânico

Terapia Comportamental Cognitiva (TCC) para o tratamento de ataques de pânico:

A Terapia Comportamental Cognitiva é considerada a melhor forma de tratamento. É prescrito para pessoas que sofrem de transtorno do pânico e / ou ataques de pânico. A terapia analisa razões comportamentais que causam tais ataques. Ele se concentra em ajudar o paciente a enfrentar o medo sob termos realistas.

Terapia de exposição para tratamento de ataques de pânico:

Nesta terapia, uma pessoa é colocada em um ambiente controlado e extremamente seguro. Eles são então expostos aos gatilhos que causam os ataques. Isso permite que eles aprendam métodos mais saudáveis ​​para lidar com o mesmo. O paciente é solicitado a estimular vários sintomas, como hiperventilação ou falta de ar. À medida que a exposição aumenta, o paciente é ensinado a controlar a sensação de pânico que surge com cada sintoma.

Medicamentos para o tratamento de ataques de pânico:

Medicamentos são usados ​​para tratar os sintomas físicos que desencadeiam ataques de pânico:

  • Antidepressivos: Estes ajudam com os sentimentos de depressão que surgem. No entanto, eles devem ser tomados regularmente e antes do início dos tratamentos acima mencionados.
  • Benzodiazepínicos: são drogas de ação rápida. Eles dissipam os sintomas dentro de um período de trinta minutos. No entanto, eles são altamente viciantes e devem ser usados ​​com cautela.

10 dicas para recuperar de ataques de pânico

  1. Aprenda sobre o Transtorno de Pânico: É importante aprender sobre os ataques de pânico / desordem em detalhes. Compreender o mesmo irá ajudá-lo imensamente a reagir de uma maneira normal.
  2. Existe um processo de três etapas: Comece por se informar sobre o transtorno. Pesquise e ensine técnicas relacionadas a modificações comportamentais e habilidades respiratórias. Na etapa final, procure ajuda do seu terapeuta para aumentar a exposição aos sintomas, a fim de controlá-los.
  3. Evitar é seu inimigo: Nunca descartar os sintomas como um fora. Entenda quais situações causam ataques de pânico. Tente incorporar o mesmo tanto quanto possível em sua rotina diária. Fugir de seus medos só causará mais problemas.
  4. Mude seu padrão de respiração: aprender a respirar corretamente é importante. Respirações pouco profundas devem ser substituídas por técnicas de respiração mais longas. Isso ajudará você a relaxar e evitar a sensação de pânico.
  5. Mude a maneira como você pensa: Com a ajuda de seu terapeuta, concentre-se em alterar seus padrões de pensamento. É importante substituir sentimentos negativos de desgraça por pensamentos positivos em todos os momentos.
  6. Tome Medications As Decided: Esta não é a cura definitiva. No entanto, ajudará a aliviar os sintomas físicos para garantir que você está mais saudável, ajudando você a combater os ataques.
  7. Criar apoio através de grupos de apoio da família, amigos e colegas: Envolva seus entes próximos e queridos para ajudá-lo nessa luta. Seu apoio e encorajamento vão ajudá-lo muito.
  8. Seja esperançoso: não assuma que é um processo de curto prazo. Ao mesmo tempo, é importante não entrar em pânico e manter a cabeça calma. Criar metas de longo prazo que ajudarão você a permanecer saudável e lidar com a ocorrência dos ataques de pânico.
  9. Manter um diário: Anote as instâncias e gatilhos que causam ataques de pânico. Trabalhe com seu terapeuta para identificar temas e lugares recorrentes. Isso também servirá como um lembrete para você à medida que avança no tratamento.
  10. Use técnicas de gerenciamento de estresse: Regular exercício aeróbico combinado com a meditação é necessário para gerenciar o estresse. Simultaneamente, é importante não ser mais dependente de medicação e drogas para acalmar os nervos.

Leia também:

Especialista em Dor at | 425-968-1599 | [email protected]

Eu sou o Dr. Ruby Crowder e sou especialista em medicina pulmonar e cuidados intensivos. Eu me formei na Universidade da Califórnia, em San Francisco. Eu trabalho no Hospital Geral de São Francisco e Centro de Trauma de Zuckerberg. Eu também sou professor associado de medicina na Universidade da Califórnia, em San Francisco.

Eu pesquisei a epidemiologia e o manejo da tuberculose em países de alta incidência e publiquei muitos remédios e artigos relacionados à saúde sobre o Exenin e em outras revistas médicas.

Finalmente, gosto de viajar, mergulhar e andar de mochila.

Leave a Comment