Saúde Mental

4 dicas que podem ajudar você a se comunicar de maneira eficiente e a viver bem

“Diga o que você quer dizer” soa tão simples quando você fala sobre isso. Mas, muitas vezes, nossa comunicação se perde na tradução, embora tenhamos a intenção de notá-la. Dizemos uma coisa, a pessoa do outro lado ouve outra coisa e isso cria frustração, mal-entendidos e resulta em conflitos.

Felizmente, existem maneiras pelas quais você pode aprender a se comunicar de uma maneira eficaz e mais clara. Se você está tentando se comunicar com seus filhos e colegas de trabalho ou chefe, as habilidades podem ser melhoradas imensamente. Você pode trazer mudanças para efetivamente se comunicar com os outros, construir respeito e confiança, bem como sentir que alguém é capaz de entender o que você está tentando dizer.

A comunicação eficaz envolve mais do que apenas o uso de palavras certas e envolve várias habilidades que envolvem comunicação não-verbal, habilidades de escuta comprometidas, comunicação assertiva e a capacidade de conhecer e compreender as emoções da pessoa oposta.

A comunicação eficaz funciona como um adesivo que ajuda a aprofundar a conexão e melhorar a tomada de decisões, o trabalho em equipe e as habilidades para resolver qualquer problema. Permite comunicar-se mesmo quando mensagens difíceis são recebidas sem criar tensão, desconfiança ou conflito.

Embora a comunicação eficaz seja uma habilidade que é aprendida, ela é mais eficaz quando surge espontaneamente, em vez de ser estereotipada. Um discurso que é meramente lido tem menos impacto do que aquele que surge espontaneamente. É verdade que é preciso muito esforço e tempo para desenvolver essas habilidades, além de se tornar um comunicador eficiente. Quanto mais prática e esforço você empregar, mais espontânea e instintiva será sua comunicação.

Dica # 1: Seja um ouvinte engajado para se tornar o mestre da comunicação eficaz

A maioria das pessoas costuma causar impacto nas coisas sobre as quais devem falar, mas quando a comunicação é eficaz, há mais escuta e menos conversas. Ouvir com atenção não significa apenas entender as palavras da pessoa oposta, mas também saber sobre as emoções envolvidas. Isso torna a comunicação ainda melhor e ajuda a evitar os confrontos também.

Como você pode se tornar um ouvinte engajado?

Se você pretende entender completamente e se conectar com o alto-falante, a escuta envolvida será compensada com mais naturalidade. Se não acertar, tente estas dicas. Quanto mais você colocá-los em prática, mais recompensadoras e satisfatórias serão suas interações quando você se comunicar com os outros.

  • Faça o orador, o centro da atração. Concentre-se em seu tom de voz, linguagem corporal e outros sinais não verbais. O tom de voz transmite emoção, por isso, se a sua mente está vagando em algum outro lugar, como mensagens ou rabiscos, então você pode perder essas pistas e o conteúdo emocional das palavras que estão sendo faladas. Se o orador estiver distraído, você poderá reconhecê-lo instantaneamente. Se você achar difícil se concentrar nas palavras do falante, tente repetir suas palavras na parte de trás de sua cabeça e isso o ajudará a manter o foco em todos os momentos. Isso ajudará você a reforçar a mensagem e se concentrar nas palavras do orador.
  • Evite redirecionar a conversa ou interromper o palestrante com suas preocupações. Quando você tenta falar sobre seus problemas em meio aos problemas discutidos pelo interlocutor, ele pode enviar sinais errados para o interlocutor. Ouvir não é a mesma coisa que esperar a sua vez de falar. Você não será capaz de se concentrar nas palavras do orador e enquadrar as frases que irá proferir no momento seguinte. Vê-se que o falante é capaz de ler as expressões faciais do ouvinte e saber que sua mente está em algum outro lugar.
  • Tente confirmar seu interesse nas coisas que são faladas pela pessoa. Continue a concordar com as frases que são ditas e mantenha sua postura correta para que você pareça convidativa e aberta. Apoie o orador para continuar dizendo pequenas palavras como “sim”.
  • Tente não ser crítico ou tomar suas opiniões sobre o palestrante. Quando você está tentando ser um comunicador eficaz, você tem que concordar com os valores, opiniões e as idéias da pessoa. Você terá que conter suas críticas, culpas e julgamentos por compreender a pessoa completamente. Mesmo que a comunicação mais difícil seja executada da maneira correta, ela pode ajudar a construir um relacionamento positivo com alguém.
  • Dê retorno. Se houver algum tipo de desconexão, parafraseie a coisa toda e reflita-a de volta ao alto-falante. Não pronuncie tudo palavra por palavra, pois você pode parecer pouco inteligente ou insincero. Tente falar sobre as palavras de tal maneira que o falante compreenda o significado correto disso. Esclareça os pontos fazendo perguntas.

Dica # 2: Pagar Atenção aos Sinais Não-Verbais pode Ajudá-lo a Comunicar Efetivamente

Quando tentamos falar sobre coisas com as quais estamos preocupados, também usamos sinais não-verbais. A comunicação não verbal envolve gestos ou movimentos corporais, contato visual, tom de voz, expressão facial, respiração e tensão muscular. A maneira como uma pessoa se move, escuta ou reage às palavras mostrará o modo como ela está se sentindo enquanto compartilha essa informação com você. Prestar atenção aos sinais não verbais pode ajudá-lo a se comunicar de forma eficaz.

Quando você desenvolve a habilidade de usar a comunicação não-verbal e entende o que a pessoa está tentando dizer, ela ajuda a expressar o que você quer dizer e a manobrar em situações difíceis também. Melhores relacionamentos no trabalho e em casa são construídos através de comunicação eficaz.

  • Você pode aumentar a comunicação eficaz através de linguagem corporal aberta, como; manter uma postura aberta, mantendo os braços descruzados e manter um contato visual constante com a pessoa que está falando com você.
  • Você também pode usar algumas dicas não-verbais para melhorar ou enfatizar a mensagem que está tentando transmitir. Isso pode envolver elogiar ou dar tapinhas na parte de trás do seu amigo em seu sucesso.
  • Cuidado com as diferenças entre todos os indivíduos. Pessoas de diferentes nacionalidades e etnias tendem a usar gestos diversos quando tentam se comunicar não verbalmente. Por isso, é importante considerar o gênero, a religião, a idade, o estado emocional e a cultura enquanto se entende os sinais através da linguagem corporal.
  • Tente considerar todas as pistas de comunicação não-verbais como um cluster. Não leia de um único gesto ou sinal. Anote todos os sinais recebidos, desde linguagem corporal, tom de voz ou contato visual. Quando você considera todos esses sinais em grupo, será melhor entender melhor a pessoa.

Dica # 3: Aprendendo a gerenciar o estresse, você será capaz de se comunicar eficazmente

Para construir uma comunicação eficaz, você tem que estar ciente e estar no controle das emoções. Isso significa aprender a gerenciar o estresse. Quando você está sob estresse, você pode interpretar mal as emoções do falante e colocar algumas dicas não-verbais que possam ofendê-lo. Você também pode cair em alguns padrões comportamentais inaceitáveis ​​que podem parecer desinteressantes. Ao administrar o estresse de aprendizado, você será capaz de se comunicar de forma eficaz.

Se você é capaz de reviver de um estado tão estressante para uma mente calma, você será capaz de acalmar o falante e evitar todas as situações acima mencionadas. Quando estiver calmo e relaxado, você poderá saber e responder melhor à pessoa.

Permanecer calmo sob estresse ajuda na comunicação eficaz

Em instâncias como reuniões de alta pressão, apresentando o ente querido a um membro da família, comparecendo a uma entrevista de emprego ou fazendo apresentações em um empreendimento comercial, é extremamente importante manter suas emoções sob controle. Aprenda a pensar melhor e desenvolver uma comunicação eficaz enquanto estiver sob pressão seguindo estas dicas:

  • Use táticas para pausar e dar tempo suficiente à sua mente para pensar. Peça repetição na pergunta ou para o esclarecimento da declaração antes de responder a uma situação particular.
  • Pare de recolher todos os pensamentos da maneira correta. Manter o silêncio não é uma coisa ruim e pode ajudá-lo a estar no controle de suas emoções também.
  • Crie exemplos relevantes para suportar as informações que você está compartilhando com outras pessoas. Se sua resposta for demorada ou você se deparar com certos pontos, o ouvinte pode perder o interesse por ela. É importante avaliar a atenção do ouvinte para saber se você tem permissão para apresentar outro ponto.
  • Apresente suas palavras de maneira clara. Na maioria dos casos, falar com clareza e manter contato visual pode ser de grande ajuda. Tente manter sua postura aberta e relaxada.
  • Resuma tudo e depois pare. Conclua sua resposta e interrompa o seu discurso, mesmo que haja completo silêncio na sala. Você não precisa compensar o silêncio falando continuamente.

Dica # 4: por ser confiante você será capaz de se comunicar eficazmente

Expressão assertiva ou direta ajuda no desenvolvimento de uma comunicação eficaz, bem como ajudar a impulsionar suas habilidades de tomada de decisão, bem como a autoconfiança. Ser positivo ao expressar seus pensamentos de maneira honesta e aberta pode significar que você está se defendendo, respeitando os outros. Isso não significa que você tenha que ser exigente, hostil ou agressivo. Desenvolver uma comunicação eficaz é entender a pessoa e não ganhar a situação ou argumentar forçando sua mentalidade sobre os outros.

Dicas para melhorar a autoconfiança:

  • Aprenda a valorizar a si mesmo, bem como as opiniões. Suas opiniões são tão importantes quanto as dos outros.
  • Conheça os seus desejos e necessidades. Aprenda a transmiti-los sem forçar suas opiniões sobre os outros.
  • Expresse seus pensamentos negativos de maneira positiva. É bastante normal ser franzido, mas você também deve tentar ser respeitoso com os outros.
  • Aceite todos os feedbacks de uma maneira positiva. Graciosamente aceite os elogios, busque ajuda e aprenda com os erros que cometer.
  • Pratique para recusar ou negar. Conheça os seus limites e nunca deixe que outros se aproveitem de você. Procure outras opções para que os outros se sintam bem com o mesmo resultado.
Especialista em Dor at | 425-968-1599 | [email protected]

Eu sou o Dr. Ruby Crowder e sou especialista em medicina pulmonar e cuidados intensivos. Eu me formei na Universidade da Califórnia, em San Francisco. Eu trabalho no Hospital Geral de São Francisco e Centro de Trauma de Zuckerberg. Eu também sou professor associado de medicina na Universidade da Califórnia, em San Francisco.

Eu pesquisei a epidemiologia e o manejo da tuberculose em países de alta incidência e publiquei muitos remédios e artigos relacionados à saúde sobre o Exenin e em outras revistas médicas.

Finalmente, gosto de viajar, mergulhar e andar de mochila.

Leave a Comment