Saúde Mental

Monofobia ou medo de ficar sozinho: causas, sintomas, tratamento, prevenção

A monofobia é uma condição médica em que um indivíduo desenvolve o medo de ficar sozinho. Pode ocorrer em seres humanos e pode ser difícil de superar. Monofobia ou medo de ficar sozinho também é referido como isolofobia ou autofobia. Pessoas que sofrem de monofobia ou medo de ficar sozinhas podem se sentir altamente inseguras e deprimidas quando deixadas sozinhas. Assim, eles podem lutar com atividades rotineiras, como dormir, ir ao banheiro sozinho, comer, etc Além disso, eles podem desenvolver um sentimento de ódio por amigos e familiares por causa de deixá-los sozinhos.

Estar Sozinho Versus Ser Solitário

Ninguém gosta de ficar sozinho, mas se um relacionamento é puramente baseado no medo de ficar sozinho, não dura muito tempo. Tais relacionamentos geralmente se tornam problemáticos, levando a um relacionamento insatisfatório ou infeliz.

Um relacionamento de qualquer tipo só pode durar muito se não for baseado em medo. Assim, é importante que uma pessoa aprenda a arte de ficar sozinha feliz. Se uma pessoa não está confortável sozinha, essa pessoa não pode levar uma vida confortável e normal. Além disso, há sempre o risco de sentir intimidade com todas as outras pessoas ao redor.

Causas da monofobia ou medo de ficar sozinho

Existem várias causas que podem levar à monofobia ou medo de ficar sozinho. No entanto, a causa na maioria dos casos pode estar ligada a alguma experiência assustadora durante a infância. Em outros casos, pode causar estresse consistente, relacionamentos ruins, fatores socioeconômicos ruins e moradia precária.

Estudos recentes provaram que o sentimento de fobia e ansiedade é mais comum naqueles que não podem aprender ou desenvolver estratégias para lidar com situações desfavoráveis ​​da vida. Pais ansiosos ou parentes que criam uma criança podem aumentar o risco de desenvolver uma fobia. Eles podem facilmente sentir-se ansiosos e nervosos em situações difíceis.

As pessoas que sofrem de monofobia ou medo de ficar sozinhas têm sempre falta de confiança e auto crença para realizar atividades sozinhas. Eles podem sentir a necessidade de ter alguém confiável o tempo todo para se sentir seguro. Assim, quando eles são deixados sozinhos, eles podem se comportar de uma maneira incomum e entrar em pânico facilmente.

Sinais e sintomas de monofobia ou medo de ficar sozinho

Monofobia ou medo de ficar sozinho como todas as outras fobias tem alguns sintomas emocionais e físicos típicos.

Sinais físicos e sintomas de monofobia ou medo de ficar sozinho:

  • Tremer ou tremer sentimento é um sintoma de monofobia ou medo de estar sozinho.
  • Sensação de tontura ou falta de capacidade para ficar firme.
  • Aumento incomum da frequência cardíaca ou palpitações.
  • Desconforto gastrointestinal ou náusea.
  • Sinta-se sufocado.
  • Formigueiro ou dormência.
  • Sudorese extrema.
  • Dor no peito e sensação de desconforto.

Outros sinais e sintomas de monofobia ou medo de ficar sozinho:

  • Medo de poder se controlar.
  • Medo de cair ou desmaiar.
  • Criando um ambiente irreal longe da realidade.
  • Os flashes quentes / frios podem ser um sinal de monofobia ou medo de ficar sozinho.
  • Desenvolver um medo irracional de morrer.

As pessoas que sofrem de monofobia ou medo de ficar sozinhas podem facilmente desenvolver outros tipos de fobia, como agorafobia (medo de locais abertos / públicos) ou tanatofobia (medo da morte).

Fatores de risco para monofobia ou medo de ficar sozinho

A seguir estão alguns fatores de risco que podem torná-lo mais propenso à monofobia ou medo de ficar sozinho:

  • A idade pode ser um fator de risco para a monofobia ou medo de ficar sozinho. As crianças correm mais riscos do que os adultos.
  • Fobia em qualquer parente próximo pode facilmente se transformar em diferentes tipos de fobia, incluindo monofobia ou medo de ficar sozinho em um indivíduo.
  • Seu temperamento pode levar à monofobia ou medo de ficar sozinho. Um indivíduo que é mais sensível e não tem o temperamento correto para enfrentar situações difíceis tem mais risco de desenvolver monofobia.
  • Um evento traumático no passado também é um fator de risco. Fobia também pode resultar devido a um evento traumático, como ser atacado por um animal ou ficar preso no elevador.

Complicações na monofobia ou medo de ficar sozinho

A monofobia ou o medo de estar sozinho podem ser difíceis para um indivíduo e podem ter um enorme impacto no estilo de vida. Pode levar a alguns problemas sérios na vida de um indivíduo.

  • Depressão e ansiedade são uma complicação possível na maioria dos indivíduos que sofrem de monofobia ou medo de ficarem sozinhos.
  • O abuso de substâncias é uma complicação possível. Fobia leva a depressão e ansiedade que podem facilmente torná-lo propenso a abuso de substâncias.
  • Alguns indivíduos podem achar quase impossível lidar com o medo que pode aumentar o risco de suicídio.

Testes para diagnosticar monofobia ou medo de ficar sozinho

Monofobia ou medo de ficar sozinho é diferente e não pode ser determinado por nenhum tipo de teste de laboratório. Existem diretrizes diagnósticas específicas, incluindo entrevistas clínicas para detectar monofobia ou medo de ficar sozinho. A entrevista consiste em questões relacionadas a sintomas e histórico médico.

A monofobia ou o medo de ficar sozinho é diagnosticada com base nos critérios diagnósticos estabelecidos pela Associação Americana de Psiquiatria no Manual Estatístico de Transtornos Mentais. O manual funciona como um padrão para ajudar os médicos a determinar a condição dos pacientes. Também é usado como padrão pelas companhias de seguros.

Tratamento para monofobia ou medo de ficar sozinho

Na maioria dos casos, as pessoas que lutam contra a monofobia ou o medo de ficar sozinhas tendem a se ajudar desenvolvendo estratégias para lidar com a situação. Psiquiatra / psicólogo também pode ajudar um indivíduo a lidar com a situação através de várias terapias, incluindo TCC ou terapia comportamental cognitiva, terapia da fala, aconselhamento, etc. A terapia comportamental cognitiva é a opção de tratamento mais eficaz que é conhecida por curar 3 em cada 4 pacientes . Hipnoterapia é outra terapia eficaz contra a monofobia ou medo de ficar sozinho.

Medicamentos para monofobia ou medo de ficar sozinho ajuda o paciente a lidar com a doença, mas não ajuda muito com o medo de ficar sozinho. Existem vários tipos de medicamentos, incluindo medicamentos anti-depressivos, medicamentos anti-ansiedade e beta-bloqueadores que são recomendados pelos médicos para pessoas que sofrem com a monofobia ou medo de ficar sozinho. Um também precisa cuidar de sintomas de abstinência que podem surgir depois de parar de tomar medicamentos. Assim, é importante proceder gradualmente através da fase de transições.

Em termos de opções de tratamento natural para monofobia ou medo de ficar sozinho, as técnicas de respiração e relaxamento funcionam melhor no tratamento dos sintomas de monofobia ou medo de ficar sozinho. Outros métodos naturais de tratamento incluem relaxamento muscular, imagens mentais, auto-fala calmante, meditação, etc.

Existem algumas terapias, como a exposição gradual e a dessensibilização, que envolvem a exposição de um indivíduo ao medo de estar sozinho gradualmente usando visualizações e imagens. Isso prepara a pessoa para enfrentar bem seus medos quando exposta na vida real.

Prevenção da monofobia ou medo de ficar sozinho

Em caso de qualquer sintoma de monofobia ou medo de ficar sozinho, é importante consultar um psicólogo o mais rápido possível, especialmente se você tiver filhos. Seus familiares não podem causar monofobia ou medo de ficarem sozinhos geneticamente, mas observar alguém tendo fobia pode criar fobia em crianças. Assim, torna-se ainda mais importante obter tratamento para a fobia e evitar que ela passe para as crianças. Mesmo um médico não pode definir uma recuperação fixa inicialmente, mas pode ser previsto com base na taxa de recuperação.

Lidando com monofobia ou medo de ficar sozinho

Lidar com qualquer tipo de fobia é difícil, mas com o tratamento profissional adequado, você pode gerenciar facilmente os sintomas de fobia. Os métodos a seguir também ajudam o indivíduo a lidar com sintomas de monofobia ou medo de ficar sozinho:

  • Preparando-se para enfrentar medos. Procure ajuda de seus terapeutas, familiares e amigos para ajudá-lo a enfrentar seus medos, em vez de evitá-los.
  • Procure ajuda para lidar adequadamente com a monofobia ou medo de ficar sozinho. Existem vários grupos de apoio que podem ajudá-lo a dar as mãos a outras pessoas que passam pelos mesmos medos.
  • Siga seus medicamentos conforme prescrito. Parar de tomar medicamentos pode resultar em sintomas de abstinência e, portanto, você deve consultar o seu médico antes de pular qualquer medicação.
  • Se cuida. Você precisa manter-se saudável, tanto mental quanto fisicamente, para ajudar-se a lutar contra os sintomas com eficácia.

Ajudando seu filho a lidar com a monofobia ou o medo de ficar sozinho

É comum ter algum medo, como medo de monstros, escuros, etc … no caso de crianças, mas a maioria deles pode superar seus medos à medida que crescem. No entanto, se o seu filho tiver dificuldades em superar a monofobia ou medo de ficar sozinho, é necessário ter ajuda de um médico. Você também pode ajudar seu filho a lidar com a monofobia ou o medo de ficar sozinho seguindo as seguintes formas:

  • Falando de monofobia ou medo de ficar sozinho. Pode ser um grande erro ignorar o medo em seus filhos ou ignorá-los. Em vez disso, converse com seu filho sobre seus medos e ajude-os a superar.
  • Ajude seu filho a enfrentar o medo em vez de fugir. Como pai, você precisa ajudar seu filho a enfrentar sua monofobia ou medo de ficar sozinho ou evitar medos. Apoie seu filho oferecendo uma exposição gradual ao medo.
  • Demonstre ao seu filho como enfrentar os medos. As crianças aprendem rapidamente observando e é importante criar um modelo positivo para ajudá-las a aprender como enfrentar o medo e reagir a ele.

Período de recuperação / tempo de cura para monofobia ou medo de ficar sozinho

Uma pessoa que sofre de monofobia ou medo de ficar sozinha sempre pode se recuperar de seu medo com o tratamento adequado de especialistas. O tempo para recuperação depende do nível de ansiedade. Se o nível de ansiedade for baixo ou moderado, uma pessoa pode ser tratada adotando um programa de recuperação bem planejado. Em caso de níveis elevados de ansiedade, as terapias podem não ser suficientes e você precisaria de ajuda de medicamentos para superar seus medos. A ansiedade pode ser tratada deixando um indivíduo enfrentar seus medos e não fugir deles. O período de tempo não pode ser definido e pode depender da capacidade do indivíduo de aceitar o tratamento e sair do medo.

Especialista em Dor at | 425-968-1599 | [email protected]

Eu sou o Dr. Ruby Crowder e sou especialista em medicina pulmonar e cuidados intensivos. Eu me formei na Universidade da Califórnia, em San Francisco. Eu trabalho no Hospital Geral de São Francisco e Centro de Trauma de Zuckerberg. Eu também sou professor associado de medicina na Universidade da Califórnia, em San Francisco.

Eu pesquisei a epidemiologia e o manejo da tuberculose em países de alta incidência e publiquei muitos remédios e artigos relacionados à saúde sobre o Exenin e em outras revistas médicas.

Finalmente, gosto de viajar, mergulhar e andar de mochila.

Leave a Comment