Cérebro

Síndrome Diencefálica: Causas, Sintomas, Tratamento, Prognóstico, Taxa de Sobrevida

Síndrome Diencefálica é uma condição patológica rara em que há desenvolvimento de um tumor no cérebro logo acima do tronco cerebral. Essa parte específica do cérebro onde o tumor se desenvolve é chamada de diencéfalo e tem dentro dele o hipotálamo e o tálamo. Isso é normalmente encontrado em bebês e crianças pequenas que apresentarão certos sintomas clássicos desse transtorno, incluindo a falta de crescimento, baixo ganho de peso e ser extremamente fraco em geral, em comparação com outras crianças mais saudáveis. Eles também podem apresentar sintomas como episódios freqüentes de vômitos e dores de cabeça persistentes,  juntamente com problemas de visão. Se a Síndrome Diencefálica não for tratada, pode levar a complicações potencialmente perigosas. A Síndrome Diencefálica é tratada principalmente com cirurgia, radiaçãoe às vezes até quimioterapia .

Quais são as causas da síndrome diencefálica?

Como afirmado, a Síndrome Diencefálica é causada como resultado do desenvolvimento de um tumor logo acima do tronco cerebral, onde o tálamo e o hipotálamo estão presentes. A função do hipotálamo  é regular o sono, a fome, a sede e controlar a temperatura do corpo. O tumor mais comum associado à Síndrome Diencefálica é um glioma ou um astrocitoma. O glioma é um tumor que surge dos tecidos gliais. O astrocitoma associado à Síndrome Diencefálica tende a ser mais agressivo e se desenvolve muito mais cedo. Além desses dois tipos de tumor, certos tipos de tumor, como ependimoma ou disgerminoma, também são conhecidos por estarem associados à Síndrome Diencefálica.

Quais são os sintomas da Síndrome Diencefálica?

Os sintomas da Síndrome Diencefálica geralmente começam na infância, onde a criança apresentará os seguintes sintomas:

  • Tem peso muito pobre.
  • A incapacidade de ganhar peso apesar da nutrição adequada é um dos sintomas da Síndrome Diencefálica.
  • Sendo extremamente magra.
  • Queixam-se de dores de cabeça persistentes.
  • Tendo problemas para ver as coisas.
  • A criança com Síndrome Diencefálica apresentará sintomas de estar sempre inquieta e hiperativa.
  • Presença de nistagmo.
  • Episódios freqüentes de  vômitos
  • Raramente, a criança pode desenvolver hidrocefalia, hipoglicemia ou hipertensão .

Como é diagnosticada a Síndrome Diencefálica?

Se houver suspeita de Síndrome Diencefálica devido aos sintomas clínicos exibidos pela criança, uma ressonância magnética com gadolínio é obtida do cérebro e da coluna vertebral, que pode detectar a presença do tumor. Uma análise do LCR também pode ser realizada. Um exame oftalmológico detalhado também será realizado para examinar algumas anormalidades na visão da criança afetada. Todos os testes acima confirmarão virtualmente o diagnóstico da Síndrome Diencefálica.

Como é tratada a Síndrome Diencefálica?

Como o tumor na Síndrome Diencefálica não pode ser completamente removido devido à sua localização, o principal objetivo do tratamento é reduzir o tamanho do tumor. Isso pode ser feito tanto de maneira conservadora quanto cirúrgica. Isto também será seguido por quimioterapia para parar a progressão do tumor. Pacientes extremamente magros podem receber alimentos através de uma sonda NG durante o tratamento. Uma vez terminado o tratamento, o paciente necessitará de acompanhamento neurológico, oncológico e oftalmológico regular ao longo da vida para examinar o tamanho do tumor e também verificar se alguma complicação pode ter se desenvolvido após o tratamento.

Prognóstico e Taxa de Sobrevivência da Síndrome Diencefálica

O prognóstico para pacientes com Síndrome Diencefálica é cauteloso e relativamente ruim quando comparado a pessoas que têm tumor semelhante, mas não apresentam Síndrome Diencefálica. Na maioria dos casos, esses tumores continuam a crescer apesar de todas as formas de tratamento. A taxa de sobrevida de pacientes não tratados com Síndrome Diencefálica é inferior a 12 meses após o desenvolvimento do tumor, mas com tratamento imediato, acompanhamentos criteriosos e aderindo às recomendações de tratamento feitas pela equipe de médicos, o prognóstico torna-se extremamente bom para um saudável vida mesmo após o diagnóstico da Síndrome Diencefálica.

Especialista em Dor at | 425-968-1599 | [email protected]

Eu sou o Dr. Ruby Crowder e sou especialista em medicina pulmonar e cuidados intensivos. Eu me formei na Universidade da Califórnia, em San Francisco. Eu trabalho no Hospital Geral de São Francisco e Centro de Trauma de Zuckerberg. Eu também sou professor associado de medicina na Universidade da Califórnia, em San Francisco.

Eu pesquisei a epidemiologia e o manejo da tuberculose em países de alta incidência e publiquei muitos remédios e artigos relacionados à saúde sobre o Exenin e em outras revistas médicas.

Finalmente, gosto de viajar, mergulhar e andar de mochila.

Leave a Comment