Epilepsia do Lobo Temporal: Causas, Sinais, Sintomas, Tratamento, Diagnóstico

A epilepsia é a condição neurológica mais comum que é caracterizada por convulsões recorrentes. Isso leva a atividade cerebral anormal, causando períodos de comportamento incomum, sensações e perda de consciência.

A epilepsia do lobo temporal é o tipo mais comum de epilepsia, em que as convulsões se originam no lobo temporal do cérebro . O lobo temporal é responsável pelo processo emocional e pela memória de curto prazo. A epilepsia do lobo temporal é de dois tipos:

  • Na região interna média do lobo temporal
  • No neocortical ou no lado do lobo temporal

De acordo com o tipo de convulsão, a epilepsia do lobo temporal é ainda classificada como

  • Crises parciais complexas: Este tipo é caracterizado pela perda de consciência.
  • Apreensão parcial simples: Neste tipo, o paciente permanece consciente.

Causas da Epilepsia do Lobo Temporal

A causa da epilepsia do lobo temporal permanece desconhecida, mas existem vários fatores que podem levar a essa condição, tais como:

  • Traumatismo crâniano
  • Acidente vascular encefálico
  • Malformação de vasos sanguíneos no cérebro
  • Síndromes Genéticas
  • Tumores cerebrais
  • Infecção como encefalite e meningite
  • Qualquer processo que leve a cicatrizes no hipocampo (uma parte do lobo temporal do cérebro)
  • Uma atividade elétrica anormal do cérebro

Sinais e Sintomas da Epilepsia do Lobo Temporal

Quando uma convulsão é originada no lobo temporal, pode haver alguns sinais ou sintomas de alerta, como:

  • Sensação anormal como sensação incomum sob o esterno ou no estômago pode ser um sinal de epilepsia do lobo temporal.
  • Alucinações e odor ou sabor súbito e estranho.
  • Um sentimento de déjà vu ou um senso de familiaridade com os eventos ou acontecimentos é um sinal de epilepsia do lobo temporal.
  • Uma mudança súbita de emoções ou emoções intensas a qualquer coisa que acontecesse naquele momento.

Estas sensações precoces não ocorrem necessariamente em todos os pacientes que sofrem de epilepsia do lobo temporal. Na maioria das vezes, as pessoas não se lembram de sentir qualquer aura. Esses sinais de epilepsia do lobo temporal duram alguns minutos antes da convulsão.

Quando a epilepsia do lobo temporal começa, a pessoa pode experimentar distúrbios motores, sintomas sensoriais ou sintomas autonômicos.

Distúrbios motores incluem:

  • Contração muscular rítmica unilateral do corpo ou face
  • Comportamento anormal da boca, como batendo nos lábios, repetindo mastigação ou deglutição
  • Movimento da cabeça forçado ou anormal, como o giro forçado da cabeça e do olho
  • Movimentos incomuns dos dedos, como a escolha repetitiva de roupas

Os sintomas sensoriais da epilepsia do lobo temporal incluem:

  • Dormência
  • Formigueiro na pele
  • Uma sensação de algo rastejando na pele

A sensação pode começar em um lugar e depois se espalhar.

Os sintomas autonômicos da epilepsia do lobo temporal são:

  • Suando
  • Lavagem
  • Dor abdominal
  • Náusea
  • Pupila dilatada
  • Batimento cardíaco acelerado

Dependendo se o paciente estava consciente durante a epilepsia do lobo temporal, eles podem ou não ser capazes de lembrar o que realmente aconteceu durante a crise. Após a epilepsia do lobo temporal, o paciente experimenta um período de confusão, sonolência extrema e dificuldade para falar, que pode durar vários minutos.

Apenas o caso extremo de convulsão do lobo temporal evolui para uma crise generalizada tônico-clônica ou de grande mal.

Se alguém tiver a convulsão pela primeira vez, ou se a convulsão durar mais de dois minutos, ou se várias convulsões ocorrerem uma após a outra, nunca adie uma ajuda de emergência.

Como é diagnosticada a epilepsia do lobo temporal?

O médico começa com uma história médica do paciente que o ajuda a saber sobre qualquer história de trauma de nascimento, traumatismo craniano, ingestão de medicamentos, ingestão de álcool ou a história de infecções, como meningite ou encefalite.

O médico pode aconselhar os seguintes testes para diagnosticar a epilepsia do lobo temporal:

  • Exame Neurológico: O problema com o cérebro ou o sistema nervoso pode ser determinado pela realização de um teste de comportamento, teste de função mental e teste de habilidade motora.
  • Teste de sangue: Um  exame de sangue é realizado para verificar se há infecção, uma condição genética, níveis de açúcar no sangue e desequilíbrio eletrolítico.
  • MRI: A  ressonância magnética do cérebro é realizada para procurar qualquer anormalidade cerebral ou lesões associadas ao lobo temporal.
  • EEG: A atividade elétrica do cérebro é medida pela realização de um EEG . Este teste ajuda os médicos a determinar se a convulsão se repita e também ajuda a descartar qualquer outra condição que imite a epilepsia.
  • CT: Este teste fornece imagens transversais do cérebro. Isso ajuda a revelar qualquer anormalidade cerebral que pode ser uma causa de convulsão, como tumores, cistos e sangramento.
  • PET: Pet é feito injetando uma pequena dose de material radioativo nas veias. Isso ajuda a visualizar as áreas do cérebro e detectar qualquer anormalidade.
  • Tomografia computadorizada de emissão de fóton único (SPECT): Este teste fornece um mapa 3D detalhado da atividade sangüínea no cérebro. Isso é feito pela injeção de baixa dose de material radioativo nas veias.

Tratamento da Epilepsia do Lobo Temporal

Pessoas que sofrem de epilepsia do lobo temporal recebem medicamentos anticonvulsivos. Esses medicamentos causam muitos efeitos colaterais, como cansaço, ganho de peso e tontura.

Aqueles que não respondem bem a esses medicamentos requerem outras intervenções médicas para o tratamento da epilepsia do lobo temporal. Ajuda na redução dos episódios de convulsão que uma pessoa experimenta.

A lobectomia temporal é um procedimento cirúrgico que envolve a remoção da parte anormal do cérebro. No entanto, uma cirurgia mal sucedida também apresenta risco, pois pode levar a outros problemas neurológicos.

Outros procedimentos de intervenção médica para o tratamento da epilepsia do lobo temporal são:

  • Estimulação do nervo vago: Neste procedimento, um dispositivo é implantado sob a clavícula. Estimula o nervo vago esquerdo, que ajuda a inibir as convulsões.
  • Neuroestimulação responsiva: Na estimulação responsiva, o dispositivo estimulador é implantado na superfície do cérebro. Um gerador movido a bateria está ligado ao crânio perto do cérebro. O dispositivo ajuda a parar a crise enviando um impulso elétrico para a área afetada. Ajuda no tratamento da epilepsia multifocal.
  • Estimulação Cerebral Profunda: Neste procedimento, os eletrodos são implantados no hipotálamo. Esses eletrodos emitem sinais elétricos que interrompem as convulsões.

Qual é o prognóstico / perspectiva da epilepsia do lobo temporal?

Em muitas pessoas, a epilepsia é tratada com sucesso com medicamentos ou cirurgia. Há um risco maior de dificuldades de memória e humor nas pessoas com epilepsia do lobo temporal medial resistente a medicamentos. Isso leva a um comprometimento na qualidade de vida e aumenta o risco de morte.

Se a doença é administrada adequadamente através de medicamentos e mudanças no estilo de vida, as pessoas podem realmente viver uma vida sem crises.

Leia também:

Especialista em Dor at | 425-968-1599 | [email protected]

Eu sou o Dr. Ruby Crowder e sou especialista em medicina pulmonar e cuidados intensivos. Eu me formei na Universidade da Califórnia, em San Francisco. Eu trabalho no Hospital Geral de São Francisco e Centro de Trauma de Zuckerberg. Eu também sou professor associado de medicina na Universidade da Califórnia, em San Francisco.

Eu pesquisei a epidemiologia e o manejo da tuberculose em países de alta incidência e publiquei muitos remédios e artigos relacionados à saúde sobre o Exenin e em outras revistas médicas.

Finalmente, gosto de viajar, mergulhar e andar de mochila.

Leave a Comment