Convulsões E Epilepsia

O que é uma aura antes de uma convulsão?

A perturbação perceptiva que um indivíduo experimenta antes do início de uma convulsão é conhecida como aura. Aura também é comum em indivíduos com sintomas de enxaqueca. Aura manipula os sentidos do indivíduo, tais como o desenvolvimento de pensamentos perturbadores, cheiro desagradável e percepção de luz estranha.

A experiência individual da aura muda de uma pessoa para outra. O principal sintoma da aura inclui rolar os olhos de volta para a cabeça devido à fotossensibilidade. A pessoa que está passando pela situação passa por sensações avassaladoras de luz, que se reduzem aproximadamente após 20 minutos. Tal ocorrência é rara.

A aura pode ajudar a prevenir lesões decorrentes de ataques convulsivos?

Como um indivíduo está entrando no período da aura antes da ocorrência de uma convulsão, existe uma probabilidade de um indivíduo se prevenir de causar uma lesão. O tempo entre o início da aura e o ataque propriamente dito dura entre alguns segundos e uma hora. É comum um indivíduo que sofre de enxaqueca ter uma aura e, além disso, experimenta o mesmo tipo de aura para ataques repetidos.

Confusão pela Presença da Aura

Também é possível para um neurologista ou clínico confundir a presença de aura com a de um ataque de pânico. Tal estado torna difícil para eles diagnosticar a situação. Além disso, pacientes que sofrem de sintomas de dor no peito, palpitações, parestesias, tontura, desrealização, tornam ainda mais difícil.

Convulsões

A ocorrência de aura epiléptica é a consequência devido à ativação do córtex funcional. Tal atividade ocorre devido à descarga neuronal anormal no cérebro. Além de agir como um sinal de alerta para a convulsão iminente, a aura também é útil para conscientizar sobre a localização de uma enxaqueca ou convulsão.

Não é necessário que um indivíduo que experimenta uma aura tenha uma convulsão após alguns segundos. Dito isso, a maioria das auras mostra sintomas visuais, motores e auditivos. A ativação desses sintomas durante o período da aura pode se espalhar pelo cérebro de forma contínua ou descontínua. Além disso, eles podem ocorrer apenas em um hemisfério ou ambos os hemisférios.

A ocorrência de uma aura é comum nas crises focais. Se houver um envolvimento do córtex motor durante esse período, o indivíduo também pode apresentar sintomas de auras motoras. Se o indivíduo está passando por dores, dormência, formigueiro, ele aciona o córtex somatossensorial. Com a ativação desse córtex, até mesmo partes discretas do corpo e áreas secundárias somatossensoriais produzem sintomas ipsilaterais.

Para as auras visuais, o indivíduo pode experimentar um formato simples ou complexo. Para o formato simples, os sintomas incluem flash, estática ou movimentação de formas, cores, luzes, que ocorrem devido à atividade anormal produzida no córtex visual primário. Para o formato complexo, o indivíduo pode ver objetos, cenas e pessoas, o que ocorre devido à estimulação da junção temporo-occipital.

Para as auras auditivas, o indivíduo experimenta formatos simples e complexos. No formato simples, a pessoa tem sintomas como zumbido e zumbido. Para o formato complexo, a pessoa vai ouvir vozes e música. A ocorrência dos sintomas deve-se à ativação do córtex auditivo primário e do córtex temporo-occipital.

Exemplos de Aura Antes da Apreensão

Mudanças visuais

  • Luzes brilhantes
  • Linhas em ziguezague
  • Distorções
  • Aparências visuais vibrantes
  • Efeito caleidoscópio
  • Cegueira temporária.

Alterações auditivas

  • Ouvindo vozes e sons
  • Modificação dos sons no ambiente circundante
  • Maior sensibilidade à audição

Mudanças Adicionais

  • Já vi
  • Sinestesia
  • Aura abdominal
  • Náusea
  • Desenvolvimento repentino de medo
  • Dormência
  • Fraqueza em um lado do corpo
  • Sentimento de estar separado.
Especialista em Dor at | 425-968-1599 | [email protected]

Eu sou o Dr. Ruby Crowder e sou especialista em medicina pulmonar e cuidados intensivos. Eu me formei na Universidade da Califórnia, em San Francisco. Eu trabalho no Hospital Geral de São Francisco e Centro de Trauma de Zuckerberg. Eu também sou professor associado de medicina na Universidade da Califórnia, em San Francisco.

Eu pesquisei a epidemiologia e o manejo da tuberculose em países de alta incidência e publiquei muitos remédios e artigos relacionados à saúde sobre o Exenin e em outras revistas médicas.

Finalmente, gosto de viajar, mergulhar e andar de mochila.

Leave a Comment