Convulsões E Epilepsia

O que pode causar uma crise na primeira vez?

O funcionamento inadequado do sistema elétrico no cérebro causa uma convulsão. As células do cérebro produzem impulsos elétricos de uma maneira específica para se comunicar uns com os outros. Muitas causas alteram os impulsos elétricos de várias maneiras. Alguns impulsos específicos entre todos os causam falha de ignição que resulta em curto-circuito, levando a um ataque da convulsão.

Não há uma explicação precisa para a questão que causa a apreensão pela primeira vez, pois os médicos ainda não conseguem encontrar a razão exata para a ocorrência da crise.

Segundo eles, existem várias situações ou impactos que podem produzir o desequilíbrio na produtividade elétrica no cérebro. O melhor método para entender a razão por trás da presença da crise é realizando uma avaliação completa.

Como a razão por trás da ocorrência de uma convulsão pela primeira vez ainda é desconhecida, os neurologistas classificam uma convulsão baseada nos sintomas e no tipo. Por exemplo, é possível que um indivíduo tenha um ataque de convulsão que dure apenas alguns segundos sem efeitos colaterais. Em outro caso, na mesma situação, a pessoa pode experimentar efeitos colaterais. Considerando outro exemplo, uma pessoa pode ter um ataque de convulsão prolongado por alguns minutos que mostre sintomas por um período específico. Existem até casos em que as convulsões têm um período prolongado de ocorrência e requerem atenção médica imediata. Tipos de convulsões:

  1. Convulsões parciais
  2. Espasmos em bebês
  3. Crises de ausência
  4. Convulsões mioclônicas
  5. Convulsões atônicas
  6. Tônico-clônica generalizada grave.

O que pode causar uma crise na primeira vez?

Encontrar a causa real da primeira convulsão pode ser difícil para qualquer neurologista. No entanto, convulsões podem ou não ser o sinal de epilepsia. Ainda não se sabe a falha que ocorre no cérebro, que os neurologistas acham que é uma das razões para o ataque de convulsão. Além da epilepsia, há também várias outras causas que levam a um ataque de convulsão, como tumores cerebrais, infecção no cérebro, condições de saúde, lesões na cabeça, abstinência de drogas ou álcool e presença de uma estrutura anormal no cérebro.

Como é um assunto controverso, o médico irá considerar todas as opções antes de prosseguir com o tratamento. O tratamento requer paciência e escolha da combinação certa de remédio adequada ao corpo. Novamente, neste caso, o médico considerará várias opções, como peso, altura, idade e outras obrigações, como se o medicamento ajudará a melhorar a produção mental do indivíduo. Consultas freqüentes também fazem parte do sistema para garantir que o médico receba o direito de relatar.

Sintomas de convulsões

Maioria dos sintomas associados a convulsões antes de uma pessoa para outra. No entanto, os fatores comuns são:

  1. Olhando fixamente
  2. Ações repetitivas, como estalar os lábios
  3. Inconsciência
  4. Perda de apetite
  5. Ganho em peso
  6. Perda de controle da bexiga
  7. Sensação de contração
  8. Confusão.

Diagnóstico de convulsão pela primeira vez

O primeiro passo para diagnosticar a primeira convulsão é registrando todos os sinais vitais. O médico também irá garantir que você está recebendo oxigênio adequado. O objetivo principal de uma avaliação médica é descobrir os sintomas e, em caso afirmativo, por que causaram a convulsão. O profissional de saúde realizará o exame neurológico completo, vários exames de sangue, exames de imagem, incluindo ressonância magnética ou tomografia computadorizada, e eletroencefalograma que ajuda a entender a atividade elétrica produzida no cérebro. O médico também fará uma série de perguntas que ajudarão ainda mais a compreender a situação e chegar a uma conclusão.

Leia também:

Especialista em Dor at | 425-968-1599 | [email protected]

Eu sou o Dr. Ruby Crowder e sou especialista em medicina pulmonar e cuidados intensivos. Eu me formei na Universidade da Califórnia, em San Francisco. Eu trabalho no Hospital Geral de São Francisco e Centro de Trauma de Zuckerberg. Eu também sou professor associado de medicina na Universidade da Califórnia, em San Francisco.

Eu pesquisei a epidemiologia e o manejo da tuberculose em países de alta incidência e publiquei muitos remédios e artigos relacionados à saúde sobre o Exenin e em outras revistas médicas.

Finalmente, gosto de viajar, mergulhar e andar de mochila.

Leave a Comment