Dieta E Nutrição

O óleo de coco é bom para a epilepsia?

O óleo de coco é considerado bom para pessoas com epilepsia. O óleo de coco tem um composto chamado Triglicerídeos de Cadeia Média (MCTs), que se mostra eficaz no controle de convulsões em pacientes com epilepsia.

Pesquisas mostraram que os ácidos graxos presentes no óleo de coco se transformam em cetonas, o que reduz os episódios de convulsões. O óleo de coco contém MCTs que vai para o fígado para se transformar em corpos cetônicos que induzem a cetose, que ajuda no controle das convulsões. Os MCTs presentes no óleo de coco aumentam a circulação sanguínea, reduzindo assim a ocorrência de convulsões.

Como usar o óleo de coco na dieta diária para reduzir convulsões? – O óleo de coco deve ser consumido para resultados efetivos na redução de convulsões. Existem várias maneiras de introduzir o óleo de coco na dieta diária

  • O óleo de coco pode ser usado como óleo de cozinha regular para cozinhar alimentos para pessoas com epilepsia.
  • O óleo de coco pode ser usado como uma forma de se vestir em saladas.
  • Pessoas com epilepsia podem usar o óleo de coco como propagação de pão.

Qual é a dose de óleo de coco para ser consumida por pessoas com epilepsia?

O óleo de coco prova ser benéfico e inofensivo apenas quando consumido na quantidade certa para a epilepsia. De acordo com as diretrizes médicas, 20 gramas de MCT é o intervalo de tratamento. Uma quantidade tão pequena de MCT pode ser coberta por 2-4 colheres de sopa de óleo de coco diariamente. Deve ser lembrado que muito consumo de óleo de coco pode não ser benéfico e pode trazer outros problemas para jogar. Assim, uma quantidade limitada de óleo deve ser consumida.

Quais são as precauções antes de usar o óleo de coco na dieta?

É essencialmente importante conhecer as precauções a tomar antes de consumir o óleo de coco para a epilepsia.

  • Deve ser assegurado que o paciente com epilepsia não tenha qualquer forma de condições alérgicas ao óleo de coco. O médico regular deve ser consultado para evitar qualquer tipo de complicação.
  • Também deve ser assegurado que as mulheres grávidas ou lactantes com epilepsia devem tomar menos quantidade de óleo de coco para evitar qualquer tipo de risco durante esse período crucial.

Quais são as outras fontes de aumento de cetonas em pessoas com epilepsia?

Pacientes com epilepsia são geralmente recomendados para seguir uma dieta cetogênica. Uma dieta cetogênica é caracterizada por carboidratos muito baixos e dieta com alto teor de gordura. Essas dietas ajudam a aumentar as cetonas no corpo, o que reduz naturalmente as convulsões.

  • A dieta cetogênica é especialmente comprovada como um procedimento de tratamento para a epilepsia resistente a medicamentos em crianças.
  • Dieta cetogênica inclui uma grande quantidade de gordura que aumenta muito a concentração de cetonas no sangue.

Quais são os outros fatores que ajudam a reduzir as convulsões?

É importante entender que apenas tendo óleo de coco pode não ser o certo para convulsões na epilepsia. O paciente tem que optar por outros métodos de prevenção, juntamente com o óleo de coco.

  • Tomar medicamentos antiepilépticos prescritos pelo médico é importante. Ignorar as doses de medicamentos não será benéfico para reduzir as convulsões.
  • O paciente deve saber os horários dos medicamentos, juntamente com a dose e seus efeitos colaterais.
  • O paciente deve informar o médico sobre outros medicamentos tomados. Pode acontecer para que os medicamentos anti-convulsivos possam interferir com outros medicamentos. Isso pode causar vários efeitos colaterais desconhecidos que podem ser evitados se informados de antemão.
  • As mulheres em idade fértil devem conhecer os efeitos dos medicamentos anti-convulsivos. Se uma mulher planeja uma família, ela deve ser informada ao médico.
  • O paciente nunca deve perder as consultas de acompanhamento com o médico.
Especialista em Dor at | 425-968-1599 | [email protected]

Eu sou o Dr. Ruby Crowder e sou especialista em medicina pulmonar e cuidados intensivos. Eu me formei na Universidade da Califórnia, em San Francisco. Eu trabalho no Hospital Geral de São Francisco e Centro de Trauma de Zuckerberg. Eu também sou professor associado de medicina na Universidade da Califórnia, em San Francisco.

Eu pesquisei a epidemiologia e o manejo da tuberculose em países de alta incidência e publiquei muitos remédios e artigos relacionados à saúde sobre o Exenin e em outras revistas médicas.

Finalmente, gosto de viajar, mergulhar e andar de mochila.

Leave a Comment