Como lidar com a doença de Kawasaki?

A Kawasaki é uma condição aguda e tem um impacto duradouro tanto nas crianças como nos membros da família. A vida dos pais mudou e eles têm que lidar com vários fatores da vida.

Como lidar com a doença de Kawasaki?

A doença de Kawasaki é uma condição aguda na qual as artérias de tamanho médio estão inflamadas. É mais comumente encontrada em crianças abaixo de 5 anos de idade. A condição deixa um impacto duradouro nas crianças e elas são quebradas fisicamente e mentalmente. Assim, é importante que os pais e profissionais de saúde criem um ambiente de cuidado e confiança que ajudem a criança a lidar com o efeito devastador dessa doença. É a causa mais comum da doença cardíaca adquirida nos países desenvolvidos e a razão permanece desconhecida. Também aumenta o risco de morte, se não for tratada. O diagnóstico da doença é feito através de achados clínicos e excluindo as outras condições com sintomas semelhantes.

Lidar com o estresse: As famílias da criança estão sob estresse significativo devido ao início súbito da doença de Kawasaki. O estresse é mais como a criança era saudável, sem qualquer sinal e sintomas da doença. Alguns pais começam a ouvir sobre o resultado da doença, enquanto outros se preocupam com o futuro do filho. Para lidar com esse estresse, a melhor solução é conversar com o profissional de saúde e discutir o futuro curso de ação. (1)

Torne seu filho informativo: Informe seu filho sobre a doença em uma idade e estágio adequados da doença. Além disso, forneça informações sobre os sintomas da doença de Kawasaki e como lidar com eles. Além disso, peça ao seu filho para ficar longe dos jogos de contato, pois isso pode tornar ainda mais complexo o condicionamento. Tudo isso deve ser feito sem emoções estressantes. Isso tornaria a criança mais confortável para viver com a doença.

Diagnosticar Dificuldade: Diagnosticar dificuldade também às vezes traz medo e ansiedade entre os pais e eles estão pensando no pior. Além disso, depois que a condição é tratada, qualquer início súbito de febre pode causar uma sensação de desconforto entre os pais. A melhor maneira de lidar com a doença é apreciar o fato de que a doença pode ser administrada de forma eficaz e tomar o estresse tornará a situação ainda mais complexa.

Falta de informação: A doença de Kawasaki é, de certa forma, uma doença rara e menos informações precisas estão disponíveis. Isso traz estresse para o paciente. Assim, o paciente pode atualizar suas informações sobre a doença, pesquisando artigos de fontes autênticas na internet e também discutir a doença com os médicos.

Falta de conhecimento do profissional de saúde : em uma pesquisa, a falta de conhecimento sobre a doença entre os profissionais de saúde foi uma das razões que levam à ansiedade entre os pacientes. O método para lidar com essa condição é visitar o médico que tem a experiência e conhecimento para gerenciar eficazmente essas condições.

Lidando com o futuro de uma criança: Os pais da criança que sofrem da doença de Kawasaki estão sob pressão devido ao futuro saudável de seu filho. Mesmo após o desaparecimento dos sintomas, eles se preocupam com o envolvimento da artéria coronária no futuro. O aconselhamento desses pacientes deve ser feito e conscientizá-los de que, com o tratamento adequado, há poucas chances de complicações da doença.

Vida na casa: os pais da casa devem ter um forte controle sobre suas emoções, pois o show emocional errado pode causar problemas comportamentais. Comportamentos que promovem distress impactam negativamente a criança fisicamente e emocionalmente. A melhor maneira de lidar com esse problema é manter as emoções sob controle e fazer com que seu filho se sinta mais confortável. Sempre use um sorriso no rosto e evite qualquer resultado negativo por ações ou palavras.

Conclusão

Vários mecanismos de enfrentamento da doença de Kawasaki incluem obter mais informações sobre a doença, discutir com o médico, consultar o médico apropriado e experiente e manter as emoções em casa.

Eu sou o Dr. Ruby Crowder e sou especialista em medicina pulmonar e cuidados intensivos. Eu me formei na Universidade da Califórnia, em San Francisco. Eu trabalho no Hospital Geral de São Francisco e Centro de Trauma de Zuckerberg. Eu também sou professor associado de medicina na Universidade da Califórnia, em San Francisco.

Eu pesquisei a epidemiologia e o manejo da tuberculose em países de alta incidência e publiquei muitos remédios e artigos relacionados à saúde sobre o Exenin e em outras revistas médicas.

Finalmente, gosto de viajar, mergulhar e andar de mochila.

Leave a Comment