Doenças Sistêmicas

Vasculopatia livedoide: causas, sintomas, tratamento, prognóstico, diagnóstico

A vasculopatia livedoide é uma condição vascular extremamente rara na qual o paciente afetado desenvolve ulcerações dolorosas nas extremidades inferiores. Na vasculopatia livedoide, as ulcerações são específicas apenas da perna e do pé, o que significa que elas não ocorrem em nenhum outro lugar do corpo. Vasculopatia livedoide era anteriormente conhecida pelo nome de vasculite livedo e vasculite livedóide, mas desde que a pesquisa provou que não causou devido à inflamação do vaso sanguíneo, provocou uma mudança no nome para Vasculopatia Livedoide.

Quais são as causas da vasculopatia livedoide?

A causa exata da vasculopatia livedoide ainda não está clara, mas os pesquisadores apresentaram várias explicações teóricas para essa condição, que incluem anormalidades dentro das paredes dos vasos sanguíneos e anormalidades circulatórias. Acredita-se que a vasculopatia livedoide pode ser causada devido a uma mistura de várias anormalidades diferentes, que se dividem em uma resultando em coagulação dentro dos vasos sanguíneos nas extremidades inferiores. Esta coagulação resulta em necrose da pele sobrejacente, desenvolvimento de ulceração e taxa de cicatrização lenta.

Quais são os sintomas da vasculopatia livedoide?

Os efeitos da vasculopatia livedoide são vistos nas extremidades inferiores, pernas, tornozelos e pés. Normalmente é bilateral. Os sintomas da vasculopatia livedoide incluem:

  • Manchas vermelhas levemente doloridas que gradualmente progridem para apresentar úlceras irregulares
  • Livedo reticularis
  • Fenômeno de Raynaud
  • Acrocianose em alguns casos.

Como se diagnostica a vasculopatia livedoide?

O diagnóstico de vasculopatia livedoide começa com uma história detalhada do paciente sobre quando os sintomas começaram. O próximo passo para o diagnóstico é a realização de um exame físico detalhado da área com uma palpação cuidadosa das extremidades inferiores, procurando ternura e dor. Uma vez suspeita de vasculopatia livedoide, é feita uma biópsia da pele da úlcera que confirma o diagnóstico de Vasculopatia Livedoide. O médico também pode solicitar algumas investigações para confirmação do diagnóstico de Vasculopatia Livedoide. Essas investigações incluem:

  • Hemograma completo
  • Estudos de coagulação
  • Anticorpos do tecido conjuntivo
  • Coagulante lúpico
  • Anticorpos anticardiolipina
  • Níveis de homocisteína.

Como a vasculopatia livedoide é tratada?

O principal objetivo do tratamento da vasculopatia livedoide é reduzir a dor e prevenir o desenvolvimento de novas úlceras e tratar as úlceras já formadas. O médico aconselhará a proteger a área de contusões , escoriações, alérgenos e desgaste inadequado de sapatos. O médico também removerá o tecido morto das úlceras. Antibióticos serão prescritos para o tratamento de qualquer infecção presente. O paciente será aconselhado a levantar a perna acima do nível do coração. O paciente também será solicitado a aplicar compressas, descansar bastante enquanto a úlcera resolve. O paciente se um fumante será solicitado a evitar fumar  , pois reduz o fluxo sanguíneo periférico. O paciente também pode receber certos medicamentos para o tratamento da vasculopatia livedoide, incluindo:

Qual é o prognóstico da vasculopatia livedoide?

A vasculopatia livedoide é uma condição que aumenta e diminui com o período de remissões e exacerbações. A pesquisa sugere que um paciente pode sofrer por 3 meses até 20 anos a partir da Vasculopatia Livedoide.

Eu sou o Dr. Ruby Crowder e sou especialista em medicina pulmonar e cuidados intensivos. Eu me formei na Universidade da Califórnia, em San Francisco. Eu trabalho no Hospital Geral de São Francisco e Centro de Trauma de Zuckerberg. Eu também sou professor associado de medicina na Universidade da Califórnia, em San Francisco.

Eu pesquisei a epidemiologia e o manejo da tuberculose em países de alta incidência e publiquei muitos remédios e artigos relacionados à saúde sobre o Exenin e em outras revistas médicas.

Finalmente, gosto de viajar, mergulhar e andar de mochila.

Leave a Comment