Como posso prevenir a ocorrência de fígado gordo?

Os alimentos têm papel preponderante no tratamento e prevenção da doença hepática gordurosa não alcoólica, sendo as recomendações atuais a diminuição do peso corporal e a modificação da dieta. Dentre as alterações, pode-se citar a ingestão calórica mais baixa (dieta hipocalórica), aumento do consumo de fibras, redução do consumo de carboidratos simples, menor consumo de gorduras saturadas, maior consumo de gorduras ômega 3 e eliminação completa do consumo de bebidas alcoólicas.

Table of Contents

Como posso prevenir a ocorrência de fígado gordo?

As dietas hipocalóricas que fornecem entre 1200 e 1500 calorias têm como objetivo alcançar uma redução gradual e segura do peso corporal em pacientes com sobrepeso ou obesos, já que foi demonstrado que dietas de muito baixas calorias <800 calorias podem resultar em perda de peso que levaria a uma complicação desta doença, devido à maior produção de substâncias nocivas (corpos cetônicos) e ao aumento do risco cardiovascular.

Incluir fibra dietética, que você pode encontrar em grãos integrais (arroz integral, massas integrais, aveia, pão integral), frutas e legumes dentro da dieta habitual é recomendada devido à sua capacidade de reduzir o colesterol e causar um atraso no aumento da glicemia ( açúcar no sangue) que resulta em uma menor liberação de insulina pelo pâncreas, ajudando a controlar a resistência à insulina que geralmente ocorre em pacientes com esteatose hepática não-alcoólica. Junto com o exposto, vale ressaltar o maior poder de saciedade que esses alimentos apresentam, o que ajudaria no tratamento do sobrepeso e obesidade.

Por outro lado, carboidratos simples, que são encontrados no açúcar, frutose, mel, geléia, confeitos, sorvetes, refrigerantes e em geral todos os produtos que contêm açúcar entre seus ingredientes, produzem um rápido aumento na glicemia. Resulta em uma maior liberação de insulina pelo pâncreas que favorecerá o depósito de maiores quantidades de gordura no fígado, o que agravará esta doença.

As gorduras saturadas são encontradas principalmente em produtos de origem animal, como manteiga, produtos lácteos integrais, queijos maduros, salsichas, carnes frias e cortes de carnes gordurosas (veado com lombo, costelinha de porco, carneiro). Está claramente estabelecido que as dietas com alto consumo de gorduras saturadas aumentam o depósito de gordura no fígado, juntamente com um aumento nos fatores de risco cardiovascular, como diminuição do colesterol HDL (colesterol bom) e aumento do colesterol total e LDL (colesterol ruim). Devido a isso, é aconselhável reduzir o consumo de gorduras saturadas em menos de 10% do total de calorias consumidas no dia.

Os ácidos graxos ômega-3 são um tipo de gordura poliinsaturada que encontramos principalmente em alimentos marinhos, como peixes e crustáceos, mas também encontramos em alguns alimentos de origem vegetal como óleo de canola e nozes como amêndoas.

O efeito positivo dessas gorduras sobre a dislipidemia e resistência à insulina tem sido amplamente demonstrado, portanto, este componente da dieta deve estar presente na alimentação do paciente com esteatose hepática não alcoólica pelo consumo médio de peixe ou marisco 2 a 3 vezes a semana eo uso diário de óleo de canola ou o consumo de 3 a 4 nozes.

Os efeitos benéficos incluem:

  • Diminuição de triglicerídeos, ácidos graxos livres, glicemia e insulina no sangue.
  • Prevenção da resistência à insulina.
  • Diminuição do acúmulo de gordura no fígado.

Outro tipo de gordura saudável que pode fazer a diferença no tratamento dietético do fígado gordo não alcoólico, são as gorduras monoinsaturadas que podemos encontrar em alimentos como o azeite de oliva, o óleo de canola, as azeitonas e o abacate. Este benefício foi claramente demonstrado quando o consumo destas gorduras substitui parcialmente a ingestão de gorduras saturadas.

Leia também:

Especialista em Dor at | 425-968-1599 | [email protected]

Eu sou o Dr. Ruby Crowder e sou especialista em medicina pulmonar e cuidados intensivos. Eu me formei na Universidade da Califórnia, em San Francisco. Eu trabalho no Hospital Geral de São Francisco e Centro de Trauma de Zuckerberg. Eu também sou professor associado de medicina na Universidade da Califórnia, em San Francisco.

Eu pesquisei a epidemiologia e o manejo da tuberculose em países de alta incidência e publiquei muitos remédios e artigos relacionados à saúde sobre o Exenin e em outras revistas médicas.

Finalmente, gosto de viajar, mergulhar e andar de mochila.

Leave a Comment