Intestino

O que é apendagite epiploica e como é tratada?

A apendagite epiplica uma condio patolgica que surge da regio abdominal caracterizada por inflamao ao nvel dos apdices epiploicos. Estas são pequenas bolsas de peritônio que é preenchido com gordura e está localizado ao longo do cólon.

A apendagite epiploica é uma condição benigna e autolimitada e desaparece sozinha, sem necessidade de qualquer tratamento específico. Ele geralmente imita os sintomas da  apendicite aguda e muitas vezes é confundido com essa condição, devido à raridade dessa condição.

Apendagite Epiploica pode ocorrer por conta própria ou pode ser causada devido a uma doença secundária em torno da região do cólon. Indivíduos na faixa etária de 30 a 60 anos tendem a ter apendagite epiploica mais do que a população normal.

Mulheres e indivíduos obesos estão mais predispostos a ter Apendagite Epiploica do que outros. Anatomicamente falando, existem aproximadamente 100 apêndices espalhados pelo cólon e raramente no reto, mas estes são vistos principalmente na junção retossigmoide. Acredita-se que a torção do apêndice seja a causa mais comum de apendagite epiplica.

Quais são as causas da apaceragite por via epiplica?

Como dito acima, acredita-se que a torção do apêndice seja a causa raiz da Apendagite Epiplica. Em alguns casos, também se verifica que a trombose venosa é a causa da apendagite epiplica, em que a trombose ou coágulo ocorre ao nível do apêndice epiploico.

Quais são os sintomas da apendagite por via epiplica?

Alguns dos sintomas da Apendagite Epiplica são:

  • A dor intensa na região abdominal é o principal sintoma da apendagite no epiploico.
  • A dor pode ser aguda e penetrante na natureza
  • A área da dor associada à Apendagite Epiploica pode ser variável dentro da região abdominal, o que significa que ela pode se apresentar no lado esquerdo, no lado direito ou na linha média do abdômen.
  • A gravidade da dor associada à Apendagite Epiploica aumenta com as tentativas de urinar ou fezes
  • Náusea acompanhada de vômito

Deve-se notar aqui que os sintomas de apendagite por via epiplica frequentemente mimetizam os sintomas de apendicite aguda, diverticulite e colecistite, de modo que os sintomas relacionados a essas condies tambm podem estar presentes.

Como é diagnosticada a apendagite por via epiploica?

O diagnóstico de Apendagite Epiploica é extremamente difícil devido à raridade da doença e também pelo fato de mimetizar sintomas de várias outras condições médicas relacionadas ao abdome. Assim, apesar de uma bateria de exames de sangue especializados, não é possível obter um diagnóstico confirmatório.

Recomenda-se a realização de exames avançados de imagem na forma de  tomografia computadorizada e  ressonância magnética do abdome e da região pélvica. Esses estudos podem detectar um processo inflamatório em andamento dentro do apêndice epiploico confirmando o diagnóstico de apendagite epiplica.

Na maioria dos casos, o diagnóstico é basicamente incidental da Apendagite Epiploica, o que significa que os testes podem ser feitos para descartar outras condições médicas.

Alguns dos métodos comuns usados ​​para diagnosticar a apendagite por ultrassonografia são a ultrassonografia que pode detectar uma massa ao redor do apêndice epiploico e tomografia computadorizada que pode mostrar um apêndice epiploico inflamado, confirmando assim o diagnóstico de apendagite epiplica.

Como é tratada a apagagite por episódio epiploico?

Como afirmado, a Apendagite Epiploica é uma condição benigna e autolimitada e não requer qualquer forma de tratamento. O tratamento destina-se principalmente aos sintomas causados ​​por ele. Isso pode incluir analgésicos para controlar a dor e  AINEspara acalmar a inflamação. Na maioria dos casos, os sintomas desaparecem em questão de uma semana e o paciente fica completamente curado de Apendagite Epiplica.

Nos casos em que há recorrências freqüentes dessa condição, uma cirurgia laparoscópica pode ser recomendada quando o apêndice inflamado é completamente extirpado, reduzindo ao mínimo as chances de recorrência da apendagite epiplica.

Especialista em Dor at | 425-968-1599 | [email protected]

Eu sou o Dr. Ruby Crowder e sou especialista em medicina pulmonar e cuidados intensivos. Eu me formei na Universidade da Califórnia, em San Francisco. Eu trabalho no Hospital Geral de São Francisco e Centro de Trauma de Zuckerberg. Eu também sou professor associado de medicina na Universidade da Califórnia, em San Francisco.

Eu pesquisei a epidemiologia e o manejo da tuberculose em países de alta incidência e publiquei muitos remédios e artigos relacionados à saúde sobre o Exenin e em outras revistas médicas.

Finalmente, gosto de viajar, mergulhar e andar de mochila.

Leave a Comment