Coração

Existe cirurgia para insuficiência cardíaca congestiva?

Cirurgias estão disponíveis para tratar a insuficiência cardíaca congestiva. No entanto, a seleção do tipo adequado de cirurgia depende do médico. A razão é que nem todos os pacientes são iguais e possuem o mesmo metabolismo ou gravidade da condição de insuficiência cardíaca congestiva. Portanto, o médico opta por prosseguir apenas depois de obter informações detalhadas relacionadas à doença.

Table of Contents

Existe cirurgia para insuficiência cardíaca congestiva?

Um procedimento cirúrgico é útil para atender a condição de insuficiência cardíaca congestiva. Vários métodos são úteis para reparar o coração com falha. Vamos dar uma olhada em alguns processos essenciais. A cirurgia para insuficiência cardíaca congestiva depende da gravidade da doença:

Cardioverter-Defibrillator implantável (CDI) – Pessoas que sofrem de ritmos cardíacos irregulares possuem a possibilidade de se submeter a cirurgia para implantar o dispositivo. O dispositivo ajuda a melhorar os ritmos cardíacos, fornecendo o ritmo necessário ou o choque elétrico necessário.

Dispositivo de Assistência Ventricular Esquerda (LVAD) – O ventrículo esquerdo do coração é grande e bombeia o sangue necessário para o corpo. O dispositivo de assistência do ventrículo esquerdo é uma bomba ou uma bomba mecânica que funciona com uma bateria e é implantada usando uma cirurgia. O dispositivo fornece a assistência necessária para o coração, pois perde a eficiência operacional convencional. Os dispositivos estão disponíveis em todos os principais centros de transplante cardíaco. Devido ao custo operacional e eficiência na funcionalidade, o LVAD é uma opção secundária para pessoas que esperam por um coração de doador. À medida que os pacientes aguardam o período, o coração se enfraquece e se deteriora, dificultando a sobrevivência do paciente.

Transplante Cardíaco – Várias pessoas sofrem de insuficiência cardíaca congestiva, o que dificulta a qualquer especialista corrigi-la usando medicamentos ou terapia. É aqui que o transplante de coração entra em vigor. A cirurgia exige que o cirurgião substitua o coração danificado pelo do doador. O transplante de coração é uma operação arriscada. Requer que o cirurgião coloque o paciente na máquina coração-pulmão. A máquina bombeia o sangue e o oxigênio necessários para o corpo. Durante esse período, o médico remove o coração doente e o substitui pelo coração do doador. Após a substituição, o médico fechará o esterno, retirará a máquina do pulmão cardíaco e incluirá um tratamento de choque para reiniciar o coração.

Intervenção Coronária Percutânea (Angioplastia) – A insuficiência cardíaca leva a bloqueios das artérias. A restrição para a passagem livre do sangue torna difícil para o coração receber oxigênio e nutrientes para funcionar apropriadamente. A angioplastia ajuda na abertura das artérias obstruídas. Dependendo da artéria afetada, do dano e da localização, o cirurgião escolhe o cateterismo cardíaco ou substitui a artéria entupida escolhendo uma saudável de outra parte do corpo. Embora haja um pequeno dano na artéria, o procedimento ajuda a melhorar a condição do paciente.

Substituição da válvula – A insuficiência cardíaca congestiva pode ser o resultado de uma válvula com falha. As válvulas cardíacas asseguram a funcionalidade adequada e barram o fluxo de volta do sangue para as câmaras do coração. O funcionamento do coração torna-se difícil quando qualquer uma das quatro válvulas apresenta disfunção. Função inadequada causa estresse excessivo no coração. A correção do problema é possível com a ajuda do procedimento cirúrgico, que envolve a reparação da situação ou a substituição da válvula danificada. É possível substituir a válvula danificada usando uma válvula mecânica ou uma válvula de tecido. A válvula mecânica tem uma vida útil mais longa, enquanto a válvula de tecido funciona por no máximo 15 anos.

Além disso, os pacientes com uma válvula mecânica exigem o consumo de medicamentos anticoagulantes pelo resto da vida. Portanto, os cirurgiões usam válvulas mecânicas para os pacientes mais jovens, juntamente com modificações no estilo de vida.

Leia também:

Especialista em Dor at | 425-968-1599 | [email protected]

Eu sou o Dr. Ruby Crowder e sou especialista em medicina pulmonar e cuidados intensivos. Eu me formei na Universidade da Califórnia, em San Francisco. Eu trabalho no Hospital Geral de São Francisco e Centro de Trauma de Zuckerberg. Eu também sou professor associado de medicina na Universidade da Califórnia, em San Francisco.

Eu pesquisei a epidemiologia e o manejo da tuberculose em países de alta incidência e publiquei muitos remédios e artigos relacionados à saúde sobre o Exenin e em outras revistas médicas.

Finalmente, gosto de viajar, mergulhar e andar de mochila.

Leave a Comment