Mitos e Fatos da Doença Cardíaca e Diabetes

Sabe-se que a doença cardíaca ou doença cardiovascular afeta pessoas com diabetes em até quatro vezes em comparação com pessoas que não têm diabetes. Ao longo dos anos, os especialistas adquiriram um conhecimento substancial sobre quais são as causas das doenças cardíacas e como elas se relacionam com o diabetes e, claro, como evitá-lo. Muitas pessoas, porém, não estão cientes do que a nova pesquisa diz sobre doenças cardíacas e diabetes e existem muitos mitos que prevalecem nas mentes das pessoas com relação a diabetes e doenças cardíacas. Este artigo é uma tentativa de verificar os fatos versus os mitos sobre diabetes e doenças cardíacas.

Fato: A maioria das pessoas que têm doenças cardíacas acredita que ser sedentário e ter calma é o caminho a percorrer. No entanto, para aqueles que sofrem de problemas cardíacos, ser sedentário é na verdade a pior coisa que você pode fazer. Um estilo de vida sedentário pode causar coágulos sanguíneos em potencial nas pernas e também pode causar um declínio na sua saúde geral.

A atividade física é importante para pacientes cardíacos, pois ajuda a fortalecer os músculos do coração e também melhora o fluxo sanguíneo para os órgãos internos e para o cérebro. Antes de iniciar uma agenda de exercícios, no entanto, é uma boa idéia consultar seu médico sobre que tipo de exercício você deseja fazer e quanto exercício seria adequado para sua condição. Por exemplo, caminhar é uma dessas atividades físicas que é boa para todos e é conhecida por impulsionar a saúde do seu coração também.

Mito 2: Você pode diminuir seu risco com vitaminas e outros suplementos

Fato: Muitas pessoas são da opinião de que se elas estão consumindo vitaminas e outros suplementos de saúde, então diminui o risco de contrair doenças cardíacas. Acredita-se que as vitaminas antioxidantes, especialmente a vitamina E, C e o beta-caroteno, podem ajudar a reduzir o risco de doença cardíaca. No entanto, quando os ensaios clínicos foram realizados sobre estes suplementos, os resultados não confirmaram qualquer benefício firme e nenhuma conclusão foi finalmente obtida no final dos ensaios. Assim, não há evidências científicas para mostrar que as vitaminas e outros suplementos têm alguma contribuição para reduzir o risco de doença cardíaca ou mesmo para tratar o mesmo.

Em vez de depender de vitaminas e suplementos, a melhor maneira é tentar consumir essas vitaminas e minerais através de alimentos naturais. Ignore estes suplementos comprados em lojas e opte por consumir uma variedade de vegetais de folhas verdes, frutas frescas e outros alimentos nutritivos.

Mito 3: somente pessoas com sobrepeso ou obesas têm diabetes

Fato: Outro mito comum de que as pessoas acreditam que estar com sobrepeso ou obesidade vai dobrar suas chances de ter diabetes . No entanto, embora o excesso de peso seja um dos fatores de risco, certamente não é o único fator de risco. Fatores como saúde geral, histórico familiar, genética e sua idade também têm um papel importante a desempenhar na determinação de suas chances de contrair diabetes.

De fato, a maioria das pessoas com excesso de peso não desenvolve diabetes, e há muitas pessoas que têm diabetes tipo 2 que mantêm um peso médio. É por isso que, independentemente do seu peso, um estilo de vida saudável é a única maneira de garantir que você diminua suas chances de ter diabetes.

Mito 4: Você nunca pode tocar sobremesas novamente

Fato: Mesmo se você tem diabetes e doença cardíaca, isso não significa que você tem que cortar todos os doces da sua dieta. É ok para desfrutar de um cookie ou uma fatia de bolo de vez em quando. A parte importante a ser lembrada é que você deve controlar o tamanho da sua porção e tê-la com moderação. Se você sofre de diabetes, então você precisa garantir que você está limitando o consumo de outros carboidratos em sua refeição quando você está tendo o seu doce favorito.

Não jogue fora seu alvo de carboidratos. Também é possível encontrar uma versão com baixo teor de carboidratos e mais saudável do doce que você deseja ter.

Mito 5: Diabetes não causará doenças cardíacas como você já está tomando medicação para diabetes

Fato: Este é um grande equívoco que os diabéticos costumam ter. Diabetes medicação é tomada para reduzir seus níveis de açúcar no sangue, não para manter sua saúde do coração. A medicação garante que você tenha níveis normais de açúcar no sangue, porque isso evita qualquer complicação adicional que possa afetar os vasos sanguíneos menores em seu corpo, causando efeitos colaterais como perda de visão, danos nos nervos, doença renal e até disfunção erétil.

Controlar o nível de açúcar no sangue tem pouco ou nenhum efeito nos maiores vasos sangüíneos do corpo, que ainda podem se tornar inflamados e doentes. É isso que aumenta o risco de ataque cardíaco ou derrame. Reduzir os níveis de colesterol e pressão arterial é o que beneficiará os grandes vasos sanguíneos do corpo, diminuindo assim o risco de doença cardíaca.

Agora, olhe para alguns fatos.

Fato 1: Doença cardíaca pode afetar homens e mulheres

Por muitos anos, acreditava-se que a doença cardíaca afeta mais os homens do que as mulheres. A pesquisa mostrou agora que a doença cardíaca é realmente uma das maiores causas de morte entre as mulheres também. No entanto, devido a essa ideia de longa data de que as mulheres não são tão suscetíveis a doenças cardíacas quanto os homens, muitas mulheres afetadas por doenças cardíacas ainda são negligenciadas e subtratadas.

A razão pela qual as mulheres são igualmente suscetíveis a doenças cardíacas como os homens são porque fatores como altos níveis de colesterol, pressão alta, obesidade, tabagismo e inatividade são os mesmos para ambos os sexos e também afetam ambos os sexos de maneira semelhante. É por isso que, seja uma mulher ou um homem, todos precisam tomar medidas para reduzir o risco de contrair doenças cardíacas. A melhor maneira de diminuir o risco é manter um estilo de vida saudável, gerenciando seus níveis de estresse, comendo de maneira saudável e mantendo-se ativo.

Fato 2: Se sua família tem uma história de doença cardíaca, você ainda pode evitá-la

As pessoas tendem a acreditar que, se houver um histórico de doenças cardíacas em sua família, elas certamente também o terão. No entanto, enquanto você tem um risco maior de desenvolver doença cardíaca, isso não significa que você não pode fazer nada para evitá-lo. Você deve conversar com seu médico e colocar em prática um plano de ação que o ajudará a manter uma boa saúde cardíaca. Algumas coisas que você pode considerar incluir no plano podem ser:

  • Estabeleça metas para ter uma dieta saudável e uma rotina diária de exercícios
  • Monitore sua pressão arterial e níveis de açúcar no sangue rotineiramente
  • Descubra maneiras que podem ajudá-lo a gerenciar seus níveis de estresse
  • Parar de fumar e beber em excesso
  • Mantenha um diário do seu progresso

Isso ajudará você a diminuir significativamente o risco de desenvolver doenças cardíacas, apesar de sua história familiar.

Fato 3: Mulheres com diabetes têm maior risco de desenvolver doenças cardíacas

A pesquisa mostrou que as mulheres que têm diabetes têm um risco 40% maior de desenvolver doenças cardíacas, bem como uma chance 25% maior de ter um derrame em comparação com os homens que têm diabetes. Embora os especialistas continuem inseguros sobre por que o risco é muito maior em mulheres, acredita-se que a biologia de uma mulher pode ter um papel a desempenhar nisso. Sabe-se que as mulheres têm mais gordura corporal, o que, acredita-se, as coloca em risco aumentado de doença cardíaca e derrame.

Conclusão

Agora que os fatos e mitos foram resolvidos sobre doenças cardíacas e diabetes, você pode começar a fazer escolhas saudáveis ​​para começar a ter um estilo de vida saudável. Ser proativo no gerenciamento de diabetes e doenças cardíacas ajudará a evitar complicações graves no futuro.

Especialista em Dor at | 425-968-1599 | [email protected]

Eu sou o Dr. Ruby Crowder e sou especialista em medicina pulmonar e cuidados intensivos. Eu me formei na Universidade da Califórnia, em San Francisco. Eu trabalho no Hospital Geral de São Francisco e Centro de Trauma de Zuckerberg. Eu também sou professor associado de medicina na Universidade da Califórnia, em San Francisco.

Eu pesquisei a epidemiologia e o manejo da tuberculose em países de alta incidência e publiquei muitos remédios e artigos relacionados à saúde sobre o Exenin e em outras revistas médicas.

Finalmente, gosto de viajar, mergulhar e andar de mochila.

Leave a Comment