Gravidez e parentalidade

Intoxicação Alimentar na Gravidez: Complicações e Dicas para Prevenir Intoxicação Alimentar na Gravidez

A alimentação saudável e os hábitos de manipulação de alimentos ganharam importância devido ao aumento do risco de intoxicação alimentar. A intoxicação alimentar na gravidez é uma grande preocupação, pois pode causar problemas para a mãe, bem como para o feto em crescimento. Ele precisa ser identificado a tempo e tratado adequadamente para evitar complicações. Vamos entender mais sobre intoxicação alimentar na gravidez e dicas para prevenir o envenenamento na gravidez.

A intoxicação alimentar é uma condição que causa infecção devido ao consumo de alimentos contaminados. Tais itens alimentares causam infecção devido à presença de vírus, bactérias ou toxinas que subsequentemente abrem a comporta a uma série de reações negativas em nosso corpo. Geralmente é acompanhado de náuseas, vômitos e diarréia. Como em outros casos, a intoxicação alimentar na gravidez também pode ser causada por bactérias Salmonella, Listeria e E. coli.

Enquanto a intoxicação alimentar pode afetar qualquer pessoa, a intoxicação alimentar na gravidez também é uma ocorrência comum. Dadas as rápidas mudanças na circulação sanguínea e no metabolismo, a intoxicação alimentar na gravidez torna-se mais comum. A gravidez altera o sistema de imunidade das mulheres, tornando-as muito mais vulneráveis ​​a doenças transmitidas por alimentos. Uma parte considerável da sua energia é desviada para manter o feto saudável e as alterações hormonais aumentam o risco de intoxicação alimentar durante a gravidez. Assim, é de suma importância que as mulheres grávidas tenham cuidado com seus hábitos alimentares para uma gravidez saudável.

A intoxicação alimentar na gravidez pode ser mais incômoda, pois aumenta o risco de desidratação devido à perda de líquidos, agravamento de náuseas e vômitos com queixas gástricas adicionais e aumento da ansiedade ou estresse. Febre, fadiga , dor de cabeça , dor abdominal ou fezes com sangue podem causar grande desconforto, quando ajuda médica imediata deve ser solicitada.

Possíveis complicações de envenenamento alimentar na gravidez

A intoxicação alimentar na gravidez pode ser insegura devido a algumas das possíveis complicações dadas abaixo.

Fraco Crescimento Neurológico do Feto – A intoxicação alimentar na gravidez pode ser perigosa para o crescimento neurológico do bebê, particularmente as infecções causadas pela Listeria.

Infecção da corrente sangüínea – Infecções por Salmonella causando intoxicação alimentar na gravidez podem estar relacionadas à artrite reativa , meningite e bacteremia (infecção se espalhando pela corrente sanguínea)

Danos nos Rins – As bactérias E.coli podem causar insuficiência renal ou danos no revestimento dos vasos sanguíneos. Isso pode levar a fezes sanguinolentas, que também são os sintomas de detecção precoce de intoxicação alimentar na gravidez.

Aborto espontâneo ou ainda nascimento – Embora seja raro, a intoxicação alimentar na gravidez também pode causar aborto espontâneo ou natimorto em casos extremos.

Dicas para Prevenir Intoxicação Alimentar na Gravidez

Dado esse nível de riscos associados, é imperativo tomar precauções completas sobre o que você está devorando durante esses nove meses. Aqui estão algumas dicas eficazes para evitar intoxicação alimentar na gravidez.

Hábito de Alimentação Saudável – O que você come durante a gravidez tem um efeito direto sobre o feto. É aconselhável adotar hábitos alimentares saudáveis, particularmente durante a gravidez. Evite crus e tenha alimentos frescos e bem cozidos para evitar a intoxicação alimentar durante a gravidez.

Evite alimentos à beira da estrada – Siga as instruções dadas pelo seu médico em termos de preparação de alimentos para evitar ficar doente. Também fique longe da beira da estrada ou junk food para evitar consumir alimentos contaminados. Para todos os desejos especiais, preparar comida em casa e consumir, quando fresco para evitar intoxicação alimentar na gravidez.

Preparação de Alimentos – Como o maior dano é causado durante a fase de preparação de alimentos, tome cuidado especial com o manuseio e preparo dos alimentos para evitar a intoxicação alimentar durante a gravidez.

  • Fique atento às datas de vencimento.
  • Mantenha-se pronto para comer alimentos em uma câmara separada e longe de alimentos crus.
  • Manter o armazenamento seguro de itens perecíveis.
  • Não se esqueça de lavar frutas e vegetais mergulhando-os em água morna antes do consumo.
  • A carne crua precisa ser bem cozida para eliminar todas as bactérias nocivas. Se necessário, use um termômetro de carne.
  • Fique longe de diário não pasteurizado ou cru.
  • Evite carne embalada, tanto quanto possível.
  • Para manter a máxima frescura, guarde os alimentos na geladeira.

Em vez de tirar os alimentos da geladeira e deixá-los voltar à temperatura ambiente, opte pela técnica de descongelamento.

Seleção de Alimentos – Especialistas em saúde são vistos frequentemente aconselhando suas pacientes grávidas a evitar os seguintes itens alimentares para evitar a intoxicação alimentar na gravidez.

  • Carnes embaladas
  • Vegetais não pasteurizados ou sucos de frutas
  • Aves, carne, ovos e frutos do mar crus ou não cozidos
  • A carne se espalha e queijo

Leve embora

Gravidez é um momento em que você precisa ser mais cauteloso sobre tudo. Agora, não é apenas sobre você, mas também sobre o pequeno embrião crescendo dentro de você a cada momento que passa. Ser vítima de intoxicação alimentar na gravidez pode ser altamente prejudicial tanto para a mãe quanto para o feto durante a gravidez. Portanto, tenha cuidado extra com o que você escolher para comer, porque durante esses 9 meses, depois de tudo, tudo tem um impacto no seu bebê. Siga as dicas para evitar a intoxicação alimentar durante a gravidez, mas se você notar quaisquer sintomas, consulte um médico imediatamente para diagnóstico e tratamento adequados.

Leia também:

Especialista em Dor at | 425-968-1599 | [email protected]

Eu sou o Dr. Ruby Crowder e sou especialista em medicina pulmonar e cuidados intensivos. Eu me formei na Universidade da Califórnia, em San Francisco. Eu trabalho no Hospital Geral de São Francisco e Centro de Trauma de Zuckerberg. Eu também sou professor associado de medicina na Universidade da Califórnia, em San Francisco.

Eu pesquisei a epidemiologia e o manejo da tuberculose em países de alta incidência e publiquei muitos remédios e artigos relacionados à saúde sobre o Exenin e em outras revistas médicas.

Finalmente, gosto de viajar, mergulhar e andar de mochila.

Leave a Comment