Vários tipos de complicações possíveis durante a gravidez

Ninguém disse que ser mãe era fácil. Ele vem com seu próprio conjunto de complicações e riscos à saúde. Mas quando a mãe consegue segurar o pacote de alegria no final de nove meses tediosos, todas as tensões parecem desaparecer instantaneamente. Complicações podem surgir durante a gravidez por um “n” número de razões. Às vezes, a saúde existente da mulher abre o caminho para os riscos à saúde, enquanto em outros casos as alterações hormonais no corpo desencadeiam uma série de mudanças, tornando o corpo mais vulnerável a ameaças externas, atenuando a capacidade de imunidade. No caso de sentir algum desconforto, consulte o seu médico imediatamente.

Table of Contents

Vários tipos de complicações possíveis durante a gravidez

Discutidos abaixo são as complicações mais comuns encontradas infelizes mães grávidas: –

# 1. Diabetes gestacional: uma complicação oculta que pode ocorrer durante a gravidez

Esta categoria de diabetes está associada à gravidez e mantém o radar de risco ativo mesmo após o parto. É desencadeada pela resistência da insulina, exatamente semelhante ao que acontece na forma do tipo II de diabetes. Na diabetes gestacional, o corpo humano torna-se resistente ao hormônio insulina. Durante o diabetes gestacional, é difícil notar sinais visíveis em mulheres grávidas e a maioria delas segue em frente com um trabalho saudável e oportuno; no entanto, este tipo de diabetes deve acentuar as chances de a prole nascer com um tamanho maduro.

Outros riscos associados incluem síndrome da doença respiratória, icterícia , hipoglicemia e conteúdo mineral extremamente baixo no sangue.

Como lidar com diabetes gestacional?

Este formulário do diabetes pode ser tratado trazendo uma mudança no plano alimentar e monitorando estritamente o nível de açúcar no sangue. Às vezes, os médicos podem sugerir medicamentos orais para combater o diabetes gestacional. O objetivo principal de uma mulher grávida deve ser manter o nível de açúcar abaixo do limite prescrito durante toda a gravidez e até mesmo depois que ele se recuperar, já que a criança ainda depende do leite materno.

# 2. Colo Cervical Incompetente: Uma Complicação Séria Que Pode Ocorrer Durante Gravidez

Assim como o bebê continua crescendo, uma pressão contínua é exercida no colo do útero da mãe, que em casos extremos pode abrir o colo do útero antes do nascimento do bebê. Tal situação é conhecida como insuficiência cervical ou cervical incompetente em termos médicos e é uma complicação que pode ocorrer durante a gravidez. Mulheres com história de cirurgia do colo do útero ou que têm um registro de complicações na gravidez, ficam mais vulneráveis ​​ao colo do útero incompetente durante a gravidez. Os sintomas dessa complicação durante a gravidez são extremamente vagos e as mulheres geralmente não conseguem entender nada sobre o encurtamento ou o afinamento do colo do útero. O colo uterino incompetente não traz consigo crises de dor, dificultando ainda mais a sua detecção. Casos raros de cólicas estomacais ou de pressão foram relatados por especialistas médicos.

Como lidar com o colo do útero incompetente?

Método de ultra-som é usado na medição do comprimento do colo do útero. Seu médico pode sugerir hormônio progesterona, repouso no leito ou uma cirurgia denominada cerclagem em que o colo do útero é costurado. Vários fatores, como o comprimento do colo do útero, a duração da gestação e os resultados anteriores da gravidez são levados em consideração antes de decidir sobre o tratamento da insuficiência cervical.

# 3. Gravidez ectópica: uma complicação perigosa que pode ocorrer durante a gravidez

Quando o óvulo fertilizado é implantado fora do útero, é denominado gravidez ectópica. Geralmente o óvulo se instala em qualquer uma das tubas uterinas e, devido à escassez de espaço ou à falta de nutrientes nos tecidos, o feto pode ficar desprovido de desenvolvimento adequado. O sistema reprodutivo da mãe fica severamente danificado e ela pode sentir dores excruciantes em casos de gravidez ectópica. Esta complicação na gravidez pode até assumir uma forma ameaçadora à vida. A mãe grávida pode sofrer hemorragia se o feto crescer imensamente, fazendo com que a trompa de falópio se rompa. A gravidez ectópica é uma complicação que pode surgir quando o tecido celular que cresce no útero cresce repentinamente em algum outro lugar ou quando qualquer infecção sexualmente transmissível assola as trompas de falópio.

Como lidar com a gravidez ectópica?

As chances de o feto sobreviver em uma gravidez ectópica é absolutamente zero e é preciso a ajuda de um ginecologista para tratar desses casos, trazendo consigo o melhor dos procedimentos cirúrgicos e médicos.

# 4. Placenta Previa: uma complicação rara que pode ocorrer durante a gravidez

Esta complicação rara pode surgir quando a placenta cobre parcialmente ou completamente o colo uterino, fixando-se na parte inferior da parede uterina da mãe grávida. Tais riscos são geralmente prevalentes entre o segundo e terceiro trimestre da gravidez; no entanto, as chances de as mulheres desenvolverem placenta prévia durante o início da gravidez também não podem ser ignoradas. O segundo e terceiro trimestres também podem ser acompanhados de placenta prévia, o que pode resultar em sangramento vaginal intenso. Quando não tratada, esta complicação na gravidez pode pavimentar o caminho para o trauma ou a morte.

Como lidar com a placenta Previa?

Estudos de pesquisa sugerem que a placenta de baixa altitude detectada na fase inicial pode ser curada por especialistas em saúde. A supervisão do médico é obrigatória nos casos de anormalidade placentária. No caso, se você tiver sorte o suficiente, a placenta deve voltar à sua posição desejada sem nenhuma interferência médica externa.

# 5. Abruption Placental: Uma complicação séria que pode ocorrer durante a gravidez

Esta complicação da gravidez surge quando a placenta se solta completamente ou parcialmente do útero antes do nascimento do bebê. O feto é completamente dependente de sua mãe para receber a nutrição, mas uma vez que a placenta se solta, seu tubo de nutrição é arrancado. Tal complicação pode tomar forma durante o terceiro trimestre da gravidez e vir acompanhada de sintomas comuns de contrações, sangramento vaginal e dor abdominal.

Estudos de pesquisa ainda estão sendo realizados para detectar a causa exata do descolamento prematuro da placenta. Alguns sugerem trauma físico como o principal culpado, enquanto outros indicam pressão alta por interromper a conectividade entre o útero e a placenta. Mães grávidas com tendência à hipertensão são muito mais vulneráveis ​​às ameaças de descolamento prematuro da placenta. O número de gestações que uma mulher passou anteriormente também tem uma correlação direta com as chances de descolamento prematuro da placenta.

Como lidar com o aborto placentário?

No caso de você ter experimentado o descolamento prematuro da placenta em suas gestações anteriores, então há 10% chances de cair na mesma hora também e, portanto, é melhor estar sob a supervisão direta de um ginecologista. Deve-se também desistir de drogas e cigarros, pois isso aumenta as chances de descolamento prematuro da placenta.

# 6. Níveis Diferenciais de Fluidos em Placenta

Fluido na placenta é de grande importância, pois atua como tampão contra o trauma e, portanto, protege o feto de choque externo. Fluido na placenta ajuda a manter a temperatura ideal para o crescimento adequado do bebê. O excesso ou falta de líquido amniótico pode criar perturbações no funcionamento normal do útero. No caso de baixo líquido amniótico, o bebê não desenvolve membros, músculos, pulmões e seu sistema digestivo adequados. Normalmente, a volatilidade do líquido amniótico não representa uma grande ameaça; no entanto, pode levar a descolamento prematuro da placenta, hemorragia pós-parto e parto prematuro em casos extremos. Durante o segundo trimestre da gravidez, quando o feto começa a sugar o líquido amniótico e pratica a respiração, um excesso ou ausência de fluido é experimentado.

Como lidar com isso?

Os médicos podem prescrever bombeamento em solução salina no saco placentário para aqueles que sofrem de diminuição dos níveis de líquido para reduzir as chances de lesão ou compressão dos órgãos do feto. Mulheres que sofrem de excesso de líquido amniótico podem precisar de medicamentos para reduzir a produção de líquidos. A redução, que se refere ao processo de drenagem do excesso de líquidos, pode ser considerada se os medicamentos isoladamente não controlarem os níveis de produção do líquido amniótico. Se não houver resultados visíveis, uma cesariana ou gravidez induzida pode ser realizada.

# 7. Trabalho de parto prematuro: uma complicação fatal que pode ocorrer durante a gravidez

Qualquer entrega que ocorra após o vigésimo e antes da trigésima sétima semana é denominada trabalho prematuro. As mães são diagnosticadas com o mesmo quando ocorre o apagamento ou abertura do colo do útero. Casos de trabalho de parto prematuro geralmente ocorrem de forma muito espontânea na maioria dos casos, entretanto, em alguns casos, podem ocorrer complicações associadas ao parto, o que poderia levar uma forma fatal tanto para a mãe quanto para o feto. Nestes casos, o ginecologista pode recomendar parto prematuro.

A entrega prematura é desencadeada pelos seguintes fatores:

  • Miomas uterinos
  • Fumar
  • Um colo do útero incompetente
  • Infecção no trato urinário
  • História de múltiplos abortos

Como lidar com o trabalho prematuro?

Atenção médica imediata é necessária para atender o trabalho de parto prematuro. Tal mulher pode ser aconselhada a descansar no leito pelo médico e medicamentos podem ser prescritos para interromper as contrações. Além disso, com a ajuda do regime de tratamento do médico e seguindo certas precauções, como aconselhado pelo ginecologista, a gestante pode entregar um bebê saudável exatamente no final do período.

# 8. Gravidez molar: complicação muito rara que pode ocorrer durante a gravidez

Esta complicação surge quando uma aglomeração irregular se forma dentro do útero, após a fertilização. O embrião é substituído por essa aglomeração irregular. Esta anormalidade placentária é extremamente rara. Gravidezes molares são de dois tipos, parciais ou completas. O posterior ocorre quando um ovo vago é fertilizado pelo espermatozóide. Isso leva à produção do hormônio da gravidez hCG, juntamente com o crescimento da placenta, sem qualquer feto dentro. A forma parcial da gravidez denota a formação de massa contendo ambos os embriões com defeitos graves e células anormais. Nesse cenário, a crescente aglomeração irregular supera rapidamente o feto. Esta é uma complicação muito incomum que pode ocorrer durante a gravidez.

Como lidar com a gravidez molar?

A gravidez molar pode se tornar cancerosa se não tratada adequadamente. Pode pedir um procedimento urgente chamado D & C, ou seja, dilatação e curetagem. É altamente recomendável seguir em frente com seu médico, pois as chances de recaída são muito altas.

# 9. Pré-eclâmpsia: uma complicação na gravidez que não deve ser ignorada

Esta condição é marcada pelo aumento dos níveis de proteína na urina e pressão alta da mãe grávida. Médicos especialistas ainda estão pesquisando sobre a causa exata da pré-eclâmpsia. Esta complicação na gravidez pode variar de fácil para grave e pode trazer os seguintes sintomas de dor abdominal superior, dores de cabeça severas, ganho de peso repentino, visão turva, tonturas, náuseas, inchaço em várias partes do corpo, diminuição do fluxo de saída de urina e vômitos . Se tiver algum destes sintomas, não hesite em fazer uma visita ao seu médico. Geralmente, a pré-eclâmpsia não causa danos à mãe, mas pode impedir o fluxo livre de oxigênio para o feto, levando a complicações como síndrome HELLP, crescimento lento, convulsões ou eclâmpsia, descolamento prematuro da placenta, peso prematuro e problemas respiratórios para recém-nascidos.

Como lidar com pré-eclâmpsia?

A entrega antecipada é a única saída em casos de pré-eclâmpsia; No entanto, em certos casos, os médicos podem até sugerir repouso e medicamentos que podem ajudar a reduzir o nível de pressão arterial em mães grávidas, aumentando assim o fluxo de sangue para a placenta. Em casos de convulsões, os médicos podem prescrever medicamentos anti-convulsivos e, nos casos em que seja necessário um parto prematuro, podem ser sugeridos corticosteróides para amadurecer os pulmões do bebê. Anti-hipertensivo pode ser prescrito para tratar o nível de pressão arterial elevada.

# 10. Síndrome Alcoólica Fetal: Uma Complicação Preventável Que Pode Ocorrer Durante a Gravidez

O consumo de álcool deve ser estritamente evitado pelas mães grávidas. Existem milhares de evidências ligando o álcool a defeitos congênitos e até mesmo aborto espontâneo em certos casos extremos. A ingestão de álcool que atravessa a placenta leva ao desenvolvimento do cérebro atrofiado e ao crescimento do bebê. Esses defeitos físicos e mentais no feto são denominados como síndrome alcoólica fetal.

Como lidar com a síndrome alcoólica fetal?

Parar o consumo de álcool é a única maneira de lidar com a síndrome alcoólica fetal. Pode-se ter ajuda do grupo de mães grávidas, onde um pode se motivar para viver a vida livre de álcool.

# 11. Eclâmpsia: uma complicação que pode ocorrer durante a gravidez

Em casos extremos de pré-eclâmpsia, o sistema nervoso central da mãe pode ficar comprometido e resultar em múltiplas convulsões.

Como lidar com a eclâmpsia?

Tal condição de saúde precisa ser tratada imediatamente, pois pode se tornar fatal, se ignorada. Se a condição pré-natal for suficientemente forte, os casos de pré-eclâmpsia que evoluem para eclâmpsia são extremamente raros.

# 12. Trombose venosa: uma complicação comum que pode ocorrer durante a gravidez

Sempre que nos machucamos, é um fenômeno comum que o sangue coagule na veia, marcando uma mancha escura na pele sobrejacente. Este fenômeno é conhecido como trombose venosa e é muito comum em mulheres grávidas, especialmente durante a fase pós-parto; as mulheres sofrem desta complicação da gravidez. A capacidade de coagulação do corpo aumenta durante o parto. Na maioria dos casos, os coágulos não são formados profundamente nas veias, no entanto, a probabilidade de Trombose Venosa Profunda não pode ser completamente descartada. As mães grávidas são frequentemente suscetíveis à formação de coágulos se: tiverem mais de 30 anos de idade fumarem trombose em sua história familiar
tiverem sobrepeso já tiverem sido submetidas a trabalho de parto que anteriormente tiveram cesariana anteriormente manter um estilo de vida sedentário confinado à cama

Como lidar com trombose venosa?

Visitas regulares ao parto pós-ginecologista podem ajudar a diagnosticar facilmente esta complicação da gravidez. Medicamentos anti-coagulantes são geralmente prescritos para tratar esta condição.

# 13. Aborto espontâneo: a complicação mais comum da gravidez

Esta é uma das complicações mais comuns da gravidez que podem surgir durante as primeiras 20 semanas de gravidez. A razão exata que desencadeia abortos espontâneos, além do choque ou trauma externo, ainda não foi estabelecida, mas as estatísticas de saúde revelaram que essa vítima ocorreu durante as primeiras 13 semanas, o que também é conhecido como o primeiro trimestre. Às vezes a incapacidade física do sistema reprodutivo da mãe impede o desenvolvimento adequado do bebê. O aborto espontâneo também é conhecido como aborto espontâneo, pois, por esse processo, nosso corpo se livra do próprio feto de maneira semelhante ao aborto procedimental. O desaparecimento repentino dos sintomas da gravidez, como enjôo matinal, além de sofrer de cólicas e dores abdominais, pode ser indicativo de aborto espontâneo.

Como lidar com o aborto?

Sangramento vaginal durante a gravidez deve ser levado a sério, pois pode indicar sinais precoces de aborto espontâneo. Geralmente, os abortos espontâneos não requerem intervenção cirúrgica se ocorrerem nas primeiras doze semanas de gestação, à medida que o tecido se dissolve ou desce espontaneamente, mas em casos raros, o tecido pode não passar da maneira usual, exigindo um procedimento cirúrgico menor.

# 14. Síndrome HELLP: uma coleção de sintomas que podem ocorrer durante a gravidez

Esta condição de saúde leva a anormalidades no sangue e no fígado e pode ocorrer sozinha ou junto com a pré-eclâmpsia. Alguns sintomas experimentados durante a síndrome HELLP são náuseas , dores de cabeça, dor gastrointestinal e prurido intenso .

Como lidar com a síndrome de HELLP?

Sempre que uma mãe é diagnosticada com síndrome HELLP, a fim de evitar danos aos pulmões, sistema nervoso e rins, os médicos podem recomendar uma indução de parto de emergência para facilitar o parto e lidar com essa complicação que pode ocorrer durante a gravidez.

Conclusão

A gravidez é o presente mais bonito da natureza. É necessário muito cuidado durante esses 9 meses para garantir um parto saudável. Com poucas precauções e visitas médicas oportunas, uma mulher grávida pode esperar um bebê saudável em seu colo.

Leia também:

Eu sou o Dr. Ruby Crowder e sou especialista em medicina pulmonar e cuidados intensivos. Eu me formei na Universidade da Califórnia, em San Francisco. Eu trabalho no Hospital Geral de São Francisco e Centro de Trauma de Zuckerberg. Eu também sou professor associado de medicina na Universidade da Califórnia, em San Francisco.

Eu pesquisei a epidemiologia e o manejo da tuberculose em países de alta incidência e publiquei muitos remédios e artigos relacionados à saúde sobre o Exenin e em outras revistas médicas.

Finalmente, gosto de viajar, mergulhar e andar de mochila.

Leave a Comment