Adultos podem obter distrofia muscular?

A distrofia muscular é uma doença genética que ocorre devido à mutação genética. Essa mutação pode ser por nascimento ou pode se desenvolver mais tarde na vida. No entanto, existem vários tipos de distrofia muscular que são mais prevalentes na infância, mas os adultos também desenvolvem distrofia muscular. 1

Adultos podem obter distrofia muscular?

A distrofia muscular não está exclusivamente relacionada a crianças. Pode desenvolver em qualquer fase da vida, incluindo adultos. É uma doença genética e pode ser congênita, ou seja, a doença está presente desde o nascimento ou adquirida, ou seja, pode ser contraída mais tarde na vida. Na distrofia muscular, o gene responsável pela síntese da distrofina sofre mutação, levando à ausência dessa proteína. Os sintomas incluem músculos fracos e espasmos musculares. Esta mutação é devido a fatores ambientais e qualquer pessoa em qualquer idade, se exposta a esses fatores, as chances de distrofia muscular é muito alta.

Tem sido visto que alguns tipos de distrofia muscular são mais proeminentes no desenvolvimento na parte final da vida, em comparação com outros tipos de distrofia muscular. A distrofia muscular de cinturas escapular ocorre mais tarde na vida e é caracterizada pelo enfraquecimento dos músculos das cinturas pélvica e escapular. 2 A distrofia muscular oftalmoplégica é outro tipo que mostra seus sintomas mais tarde na vida. A condição é caracterizada por sintomas semelhantes à miastenia gravis, como pálpebras caídas. Além disso, a capacidade da pessoa de engolir é significativamente reduzida.

A distrofia muscular miotônica também é comumente encontrada em parte posterior da vida. Os músculos do pescoço e do rosto são afetados nesta distrofia muscular. A distrofia muscular facioescapuloumeral ocorre em parte posterior da vida, embora também possa se desenvolver na infância. 3 Os músculos do ombro são afetados principalmente nesta distrofia muscular.

Diagnóstico De Distrofia Muscular

Nível sérico de creatinina quinase : A creatina quinase é a enzima presente nos músculos. Na distrofia muscular, os músculos são desperdiçados e danificados, aumentando assim o nível desta enzima no sangue. Assim, testando a presença desta enzima em níveis elevados no sangue, o dano muscular pode ser diagnosticado. Este é um teste preliminar para a distrofia muscular, pois o nível desta enzima também pode aumentar em inflamação, infecções ou exercícios pesados.

  1. Eletromiografia: Como os músculos do paciente que sofre de distrofia muscular são fracos, a ressonância magnética do músculo é feita para analisar a condutividade elétrica no músculo. A atividade elétrica é medida através da eletromiografia e a fraqueza do músculo é notada.
  2. Biópsia muscular: A biópsia muscular é o processo de remoção de parte do músculo afetado e analisá-lo em laboratório. Isso dará uma ideia sobre o problema com o músculo. Também ajuda a identificar os danos estruturais nas fibras musculares.
  3. RM muscular: A RM muscular é usada para identificar qualquer músculo danificado, ou qualquer músculo anormal, especialmente relacionado aos órgãos vitais, como coração ou pulmões. Além disso, a ressonância magnética do músculo também ajuda a analisar a extensão da progressão da doença em termos de dano muscular.
  4. Teste genético: O teste genético é o melhor método para concluir se o paciente sofre de distrofia muscular. A distrofia muscular é uma doença genética e caracterizada pela mutação do gene responsável pela síntese da distrofina. Assim, realizando o teste genético e analisando esse gene em particular, a doença pode ser diagnosticada conclusivamente.
  5. Raio-X de tórax: A radiografia de tórax é usada para analisar órgãos importantes, como pulmões e coração. É feito para analisar qualquer processo anormal nesses órgãos, como qualquer envolvimento cardíaco ou presença de qualquer fluido na cavidade pleural.
  6. Tomografia Computadorizada: A distrofia muscular é a condição na qual os músculos são danificados devido à ausência de uma proteína chamada distrofina. A tomografia computadorizada é feita para identificar a presença de qualquer dano muscular, especialmente nos órgãos vitais.
  7. Ecocardiograma: O funcionamento do coração é totalmente dependente dos músculos cardíacos e qualquer anormalidade nos músculos cardíacos leva a complicações que ameaçam a vida. Ecocardiograma é feito para analisar a função do coração em termos de músculos e válvulas.

Conclusão

Os adultos também podem sofrer de distrofia muscular. Os tipos de distrofia muscular encontrados em adultos incluem distrofia muscular de cinturas, distrofia muscular oftalmoplégica, distrofia muscular miotônica e distrofia muscular facioescapuloumeral.

Referências:  

Leia também:

Especialista em Dor at | 425-968-1599 | [email protected]

Eu sou o Dr. Ruby Crowder e sou especialista em medicina pulmonar e cuidados intensivos. Eu me formei na Universidade da Califórnia, em San Francisco. Eu trabalho no Hospital Geral de São Francisco e Centro de Trauma de Zuckerberg. Eu também sou professor associado de medicina na Universidade da Califórnia, em San Francisco.

Eu pesquisei a epidemiologia e o manejo da tuberculose em países de alta incidência e publiquei muitos remédios e artigos relacionados à saúde sobre o Exenin e em outras revistas médicas.

Finalmente, gosto de viajar, mergulhar e andar de mochila.

Leave a Comment