O que causa a doença de pele de Morphea?

Morphea é uma condição que causa lesões duras e descoloridas na pele. Afeta o rosto, pescoço, mãos, pernas ou tronco. É limitado à pele e muito raramente se estende aos músculos e ossos. A pele parece oval, branqueada, espessa e dura. Geralmente é uma condição indolor e pode ser coceira em certos casos. Pode causar deformidades estéticas. É uma condição autolimitada que se instala sozinha em três a cinco anos. Pode recair de novo e de novo. No entanto, isso não afeta a expectativa de vida de uma pessoa.

Morphea é uma doença de pele rara que é caracterizada por descoloração e endurecimento da pele. Afeta a pele do abdômen, peito ou costas; às vezes envolvem rosto, pescoço, mãos ou pés. É um tipo de esclerodermia localizada. Não se estende a órgãos internos e não os afeta. Ele se instala por conta própria.

Não existem razões claras conhecidas que possam causar morféia. Supõe-se que a doença imunológica pode atacar a pele saudável, confundindo-a com um corpo estranho. O colágeno é encontrado na pele para fornecer suporte estrutural à pele. Nesta doença, a pele fica dura e espessa devido ao excesso de produção de colágeno. Não é contagioso e não se espalha com o toque ou outros meios.

As causas de Morphea podem ser

Transtorno Imunológico – a morféia pode desenvolver hiperatividade do sistema imunológico, no qual considera erroneamente sua própria pele saudável como invasores estranhos. Também pode estar associado a múltiplas síndromes autoimunes, nas quais três ou mais doenças autoimunes, como hipotireoidismo autoimune, pneumonite, etc., podem estar presentes na mesma pessoa ao mesmo tempo.

O linfoma de células T – câncer causado pela infecção pelo vírus HTLV-1 pode induzir a morféia. Esta condição é caracterizada por altos níveis de cálcio no sangue que causam lesões ósseas e de pele no corpo.

Trauma – qualquer trauma ou lesão na pele pode induzir a morféia.

Genética – algumas alterações genéticas podem desencadear o desenvolvimento de morféia na pele. Pode ocorrer em famílias que afetam adultos e crianças.

Infecções – algumas infecções causadas por borreliose de Lyme, HTLV-1 ou Toxoplasma gondii podem causar morféia. Borreliose de Lyme provoca líquen esclerose ou linfoma de células B que podem contribuir para a ocorrência de morféia. A infecção pelo HTLV-1 causa linfoma de células T. O toxoplasma gondii pode causar morféia.

Radiação – radioterapia feita para o tratamento do câncer pode induzir sintomas de malignidade. Pode induzir o endurecimento da pele, resultando em morféia. No entanto, a morféia pós-irradiação é incomum e rara.

Medicamentos – ácido valpróico e alguns outros medicamentos podem induzir a doença. Supõe-se que a vacinação intramuscular pode causar endurecimento da pele no local da vacinação.

Sintomas de Morphea

A morféia afeta a pele – a pele fica espessa e endurecida. A pele mostra manchas ovais cuja borda externa é ilíaca e a mancha interna está na cor vermelha. A pele fica branca ou amarela em direção ao centro. Essa aparência e sua gravidade dependem dos tipos de morféia.

Placa Morphea – é o tipo mais comum de morféia que causa três ou quatro lesões. Eles são indolores e coceira em certos casos.

Placa Morfea Generalizada – causa grandes lesões generalizadas que se unem. Eles se estendem aos tecidos profundos e podem causar desfiguração.

Morféia Pansclerótica – é a morféia progressiva rápida que envolve a pele de todo o corpo, exceto as mãos e os pés. É tratado com intervenção médica agressiva.

Morphea Linear – se espalha como uma única banda e é visto na perna, braço ou testa como pele descolorida ou endurecida. É o tipo mais comum em crianças em idade escolar e pode se estender a músculos e ossos causando deformidades.

Conclusão

A morféia é uma lesão cutânea rara, marcada por descoloração e endurecimento. Suas causas exatas não são conhecidas. Os fatores que podem desencadear a morféia são autoimunidade, radiação, medicamentos, genes anormais, infecções e câncer.

Leia também:

Eu sou o Dr. Ruby Crowder e sou especialista em medicina pulmonar e cuidados intensivos. Eu me formei na Universidade da Califórnia, em San Francisco. Eu trabalho no Hospital Geral de São Francisco e Centro de Trauma de Zuckerberg. Eu também sou professor associado de medicina na Universidade da Califórnia, em San Francisco.

Eu pesquisei a epidemiologia e o manejo da tuberculose em países de alta incidência e publiquei muitos remédios e artigos relacionados à saúde sobre o Exenin e em outras revistas médicas.

Finalmente, gosto de viajar, mergulhar e andar de mochila.

Leave a Comment