Saúde Mental

Alucinações Auditivos: Tipos, Causas, Tratamento

A alucinação auditiva, também conhecida como paracusia, é um tipo de alucinação em que o paciente percebe sons como vozes, música etc. sem qualquer estímulo auditivo real, ou seja, o paciente ouve sons que não existem e são imaginários. As alucinações auditivas são comumente experimentadas por pessoas que sofrem de tumores cerebrais, epilepsia, enxaqueca, doença de Alzheimer, demência, demência de corpos de Lewy, transtorno de estresse pós-traumático, transtorno bipolar e doença de Parkinson. As alucinações auditivas também podem ser induzidas por certas drogas, como anfetaminas e cocaína. A esquizofrenia é a causa mais comum de alucinações auditivas. Também é surpreendente que em cerca de 15% das pessoas, que não têm absolutamente nenhum problema físico ou mental, também possam ter alucinações auditivas.

Tipos de alucinações auditivas

As alucinações auditivas dividem-se em 3 grupos principais:

  • O paciente ouve uma voz que está falando seus pensamentos.
  • O paciente ouve apenas uma voz ou várias vozes que estão brigando e discutindo entre si.
  • O paciente ouve vozes que narram as ações do paciente.

No entanto, essas três categorias não incluem todos os tipos de alucinações auditivas.

Outros tipos de alucinações auditivas incluem:

  • Síndrome do Ouvido Musical. Na síndrome do ouvido musical, o paciente ouve uma ou várias músicas musicais e tons musicais tocando em sua mente. De acordo com estudos, ouvir música por um período prolongado de tempo pode causar a síndrome do ouvido musical. Esta condição também pode se desenvolver devido a lesões no tronco cerebral, abscessos, tumores, perda auditiva, encefalite, atividade epiléptica e distúrbios do sono como a narcolepsia.
  • Síndrome da Cabeça Explodindo. O paciente ouve ruídos explosivos imaginários altos, como um tiro, bomba explodindo etc.

Quais são as causas da alucinação auditiva?

Algumas das causas comuns de alucinações auditivas incluem o seguinte:

Causas relacionadas ao cérebro de alucinações auditivas

Os danos cerebrais que ocorrem devido a ferimentos, acidentes ou qualquer problema médico podem causar alucinações auditivas. Muitos pacientes que estiveram envolvidos em acidentes graves relatam ouvir vozes sagradas e espirituais. Há também muitos pacientes que ouvem vozes diferentes imediatamente depois de dormir ou depois de acordarem de um sonho. Isso tem relação com diferentes partes do cérebro. Quando uma pessoa está dormindo, as ondas cerebrais mudam para uma faixa mais lenta de teta, o que causa a ocorrência de sonhos aleatórios. A maioria das pessoas que ouvem vozes em seus sonhos costuma ouvir as pessoas chamando seu nome.

Alucinações auditivas causadas por intimidação ou abuso

As pessoas que são abusadas ou intimidadas na infância tendem a desenvolver problemas de saúde mental, como insegurança, ansiedade e depressão, que eventualmente causam alucinações auditivas. As crianças que cresceram sozinhas sem irmãos e que sofreram bullying correm maior risco de alucinações auditivas. Além disso, o abuso físico e sexual em crianças também pode causar alucinações auditivas, que podem incluir a voz do agressor e o paciente não é capaz de controlá-lo.

Alucinações Auditivos Induzidas por Drogas

Existem algumas drogas que afetam os neurotransmissores do cérebro, resultando em alucinações auditivas. Uma pessoa depois de tomar um determinado medicamento ou depois de interromper um determinado medicamento pode sofrer de alucinações auditivas. Alucinações auditivas podem ocorrer em pessoas que sofrem de psicose induzida por Adderall.

Alucinações auditivas causadas por estresse mental

O estresse também pode causar alucinações auditivas. Uma pessoa que sofre de um aumento de estresse por um longo período de tempo pode ouvir vozes em sua cabeça. Fora isso, a morte de um ente querido também pode provocar ansiedade e alucinações auditivas. As alucinações auditivas agem como um mecanismo de enfrentamento em algumas pessoas durante seus dias iniciais de luto. O isolamento também desencadeia alucinações auditivas. Uma pessoa que vive uma vida isolada por um longo tempo tende a ouvir vozes diferentes. Pessoas em tais tipos de ocupações, como marinheiros e náufragos, experimentam alucinações auditivas que atuam como compensação por sua falta de interação social.

Alucinações auditivas causadas pela fome

Fome ou falta de comida provoca desnutrição do cérebro, devido ao qual a função do cérebro é prejudicada e o paciente pode experimentar comportamentos estranhos, incluindo alucinações auditivas.

Alucinações auditivas causadas pela falta de sono

A privação crônica do sono ou o sono insuficiente também podem induzir alucinações auditivas. De acordo com estudos, a privação severa do sono está relacionada com neurônios que formam a “função I” do cérebro, que pressuriza os neurônios e causa sintomas de psicose, incluindo alucinações auditivas.

Alucinações Auditorias Causadas por Doença Médica

Transtornos mentais como psicose, esquizofrenia, identidade dissociativa, transtorno bipolar e transtorno da depressão maior podem causar alucinações auditivas quando o paciente ouve vozes ameaçadoras. O transtorno de estresse pós-traumático também pode desencadear alucinações auditivas que podem ser vistas em vítimas de crimes, soldados e vítimas de desastres naturais. Além de problemas mentais, doenças físicas também podem produzir delírio no paciente, o que faz com que o paciente se desassocie de seu entorno e tenha alucinações auditivas.

Tratamento para alucinações auditivas

Se o paciente está ouvindo vozes que são positivas por natureza, então o paciente não precisa necessariamente silenciá-las e pode aprender a viver com elas. Entretanto, se o paciente ouve vozes que ameaçam, pressurizam, xingam ou controlam, então o tratamento é necessário através de um psicólogo / psiquiatra profissional. O tratamento das alucinações auditivas consiste em:

Medicamentos antipsicóticos

Os medicamentos antipsicóticos são os medicamentos comumente usados ​​para o tratamento de alucinações auditivas. Estes medicamentos afetam o metabolismo da dopamina para resolver o problema. Se o paciente está sofrendo de transtornos de humor, então medicamentos adjuvantes, como antidepressivos e estabilizadores de humor, também são prescritos juntamente com medicamentos antipsicóticos.

Terapia cognitiva comportamental

Terapia cognitivo-comportamental (TCC) é um tratamento bastante eficaz que ajuda na redução da frequência e intensidade das alucinações auditivas. A psicoterapia de apoio também ajuda na redução das alucinações auditivas. Outras terapias comportamentais podem ser usadas em combinação com a terapia comportamental cognitiva para o tratamento de alucinações auditivas.

Terapia eletroconvulsiva

A eletroconvulsoterapia (ECT) também é usada para tratar sintomas de depressão, esquizofrenia; sintomas que também incluem alucinações auditivas. A Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva (RTMS) é um tipo de tratamento de estimulação cerebral que pode ajudar na resolução de alucinações auditivas. O RTMS altera a atividade neural do cérebro e pode ser usado em conjunto com medicamentos antipsicóticos para o tratamento de alucinações auditivas.

Reestruturação Cognitiva ou Reformulação Cognitiva

Esta é uma técnica psicológica em que as vozes irracionais ou disruptivas nas alucinações auditivas são identificadas e alteradas em direção às positivas. Reenquadrar as vozes ouvidas nas alucinações auditivas é um bom método para administrá-las. Na Reformulação Cognitiva, as vozes ouvidas nas alucinações auditivas são identificadas e o paciente é instruído a trazê-las para sua consciência e reconhecer que essas vozes não são reais e não existem. Uma vez que o paciente se sente confortável com essas vozes, ele é capaz de gerenciá-las e diminuir sua frequência e intensidade.

Especialista em Dor at | 425-968-1599 | [email protected]

Eu sou o Dr. Ruby Crowder e sou especialista em medicina pulmonar e cuidados intensivos. Eu me formei na Universidade da Califórnia, em San Francisco. Eu trabalho no Hospital Geral de São Francisco e Centro de Trauma de Zuckerberg. Eu também sou professor associado de medicina na Universidade da Califórnia, em San Francisco.

Eu pesquisei a epidemiologia e o manejo da tuberculose em países de alta incidência e publiquei muitos remédios e artigos relacionados à saúde sobre o Exenin e em outras revistas médicas.

Finalmente, gosto de viajar, mergulhar e andar de mochila.

Leave a Comment